Cena emocionante do final de O Projeto Adam só aconteceu por causa de um ator

publicidade

O Projeto Adam chegou a Netflix fazendo sucesso com o público que o colocou no Top 10 de títulos mais assistidos em seu primeiro final de semana.

publicidade

E isso se deve não só por ele trazer de volta um estilo adorado de filmes dos anos 1980, mas por tocar nas emoções de seus telespectadores.

O longa junta um homem do futuro com seu eu mais jovem e o pai falecido de quem ele guarda muitas mágoas, e enquanto os três se unem com o mesmo objetivo em comum, eles acabam curando velhas feridas e resolvendo seus problemas emocionais.

Uma das cenas finais do filme evidencia a difícil despedida dos três personagens, que ao invés de se abraçar e dizer adeus, optam por fazer algo que unia pai e filho: jogar beisebol no quintal de casa, enquanto aguardam que cada um volte a sua própria linha do tempo.

Considerada pelo público uma das cenas mais emocionantes de O Projeto Adam, a sequência foi explicada pelo diretor do longa, Shawn Levy, e seu protagonista, Ryan Reynolds, durante uma recente entrevista ao site Collider.

“Nunca foi outra coisa, mas eu sabia que não queria fugir dessa catarse no final. Gosto de filmes que me fazem sentir muito. Eu só, mais uma vez, eu me senti sortudo por ter meu cara, agora um dos meus maiores amigos da minha vida em Ryan, e estávamos fazendo um filme que é uma explosão em ação e engraçado, mas também começa a ser um drama em alguns momentos onde conta”.

“Foi emocionante para mim. Ainda me sinto emocionado. Então esse final sempre foi construído na base de que haveria um adeus. Nós nunca iríamos dar-lhe um final feliz, mas tivemos que dar-lhe um final com encerramento e redenção. Então nós fizemos uma pequena reescrita sobre ele, mas então nós filmamos essa cena”, começou contando Levy.

Cena de O Projeto Adam (Reprodução)
publicidade

Ele relembrou como Mark Ruffalo se mostrou carregado com a dose certa de emoção necessária para a cena, após apenas um ensaio, e ele viu que o ator guiaria com facilidade Reynolds e sua versão jovem, Walker Scobell.

“E literalmente, depois de menos de um ensaio completo, eu senti: ‘Oh, está acontecendo. Está chegando. Então, não vamos mais ensaiar. Nós filmamos. E Mark, a partir da tomada um, trouxe o que precisava. Lembro-me do Ryan dizer: ‘Eu só precisava ouvir. Eu só segui Mark’’.

publicidade

Reynolds complementou a fala de seu diretor confirmando como Ruffalo o guiou na cena e como ele usou sua própria experiência de vida para levar a emoção que precisava para aquela sequência.

“Tudo o que eu tinha que fazer literalmente era olhar para Mark e sentir tudo, cada momento não correspondido que já tive com meu próprio pai na vida real. Realmente, me senti tão sortudo por trabalhar com alguém como Mark Ruffalo, que é tão bom, se não melhor do que todos já sabem que ele é. E então a coisa de pegar a bola isso é tudo para mim é incrivelmente ressonante. Foi assim que me conectei com meu pai. Quando meu pai, que está morto há seis, sete anos, todas as minhas memórias que são lindas com meu pai somos nós tendo um momento de pegar a bola no gramado. Isso está no filme, mas isso também é verdade na minha vida real, que é que meu pai sempre teve tempo para isso”, Reynolds revelou.

O Projeto Adam está disponível na Netflix.

O que você achou? Siga @siteepipoca no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui.

Veja mais ›