Dexter: New Blood só existe por um motivo conforme diretor

Michael C. Hall como Dexter (Reprodução)
Michael C. Hall como Dexter (Reprodução)

Vem aí Dexter: New Blood, nova série que continuará os eventos de Dexter muitos anos depois que o final da série foi considerado ruim pelos fãs. Agora, até mesmo o presidente do canal Showtime andou tecendo críticas sobre o programa principal. 

Gary Levine, conversou com a revista Entertainment Weekly e explicou como acredita que a série que teve temporadas espetaculares, ficou devendo algo em seu desfecho. 

“Aquilo se desgastou para nós. Foi estranho ver que uma série tão boa quanto Dexter, não tenha terminado de uma maneira que fosse digna”, disse. 

Não foi só ele que fez essas críticas. O protagonista Michael C. Hall também endossou o coro explicando o que os fãs poderão ver em Dexter: New Blood

“Estamos ligando as câmeras de volta e descobrindo onde ele está, o que ele está fazendo, e que tipo de vida ele conseguiu esculpir para si mesmo. Gostamos de ver Dexter entrar na água quente, mas gostaríamos de vê-lo sair dela.”

Dexter
Dexter (Reprodução)

No fim da série principal, depois de perder tudo o que havia conquistado inclusive com a morte de Debra, sua irmã adotiva que era considerada seu único vínculo emocional, Dexter entrega seu filho de 4 anos, Harrison para a então namorada/ amante, e também serial killer Hannah para ser criado por ela na Argentina. 

Ele então saiu de Miami para viver escondido como lenhador usando o nome de James Lindsey em Iron Lake, região em torno de Nova Iorque. 

Veja mais ›