Loki | Tom Hiddleston comenta metáfora: “o amor é um adaga”

O terceiro episódio de Loki da Marvel Studios foi oficialmente lançado no mundo, e é seguro dizer que o episódio deu aos espectadores muito o que pensar.

Além de começar a responder à chocante reviravolta na história do episódio anterior, e introduzir uma série de novas reviravoltas, houve alguns momentos significativos para os personagens ao longo do caminho, especialmente no que diz respeito ao próprio Loki (Tom Hiddleston).

Uma cena, em particular, trouxe uma metáfora que já inspirou memes entre os fãs da série, e parece que o próprio Hiddleston está reconhecendo isso.

O episódio mostrou Loki e Sylvie (Sophia Di Martino) presos no planeta de Lamentis-1, que estava prestes a ser destruído em um evento apocalíptico.

Os dois entram em um trem que abriga os residentes mais ricos de Lamentis e, eventualmente, começam a falar sobre aspectos de suas vidas pessoais semelhantes, mas totalmente diferentes.

No final das contas, o tópico se volta para suas experiências românticas e o que eles consideram o “amor” verdadeiramente.

Loki (Tom Hiddleston) e Sylvie (Sophia Di Martino) em Loki (Reprodução / Disney+)
Loki (Tom Hiddleston) e Sylvie (Sophia Di Martino) em Loki (Reprodução / Disney+)

Depois que Sylvie sugere que “amor é ódio”, Loki eventualmente (depois de algumas bebidas) decide por outra metáfora.

“O amor é uma adaga”, explica Loki. “É uma arma para ser empunhada de longe ou de perto. Você pode se ver nele. É lindo até fazer você sangrar. Mas, no final das contas, quando você tenta alcançá-lo, [não é real]. ”

Sylvie sugere a Loki que a ideia do amor ser “uma adaga imaginária” é uma metáfora “terrível”, algo de que Hiddleston não discordou em uma entrevista para a Marvel.com. O ator explicou:

“É uma daquelas coisas que Loki surge espontaneamente. Eles estavam conversando sobre amor e confiança em outras pessoas, e não serem capazes de amar ou confiar por qualquer motivo, e Loki acha que ele veio com algo profundo. [Esta] é a experiência de amor de Loki, eu suponho. Ele certamente sente que não é algo de que ele tenha estado próximo. Tem sido algum tipo de ilusão de que ele confiou e foi decepcionado”.

O showrunner Michael Waldron também falou sobre a linha não convencional, revelando que ela foi parcialmente influenciada pela proximidade de seu próprio casamento.

“Eu escrevi isso muito, muito rápido. Lembro que estava revisando o Episódio 3 nas duas semanas que antecederam meu casamento. É interessante porque esse é provavelmente o episódio mais romântico. Nesse ponto, Loki está um pouco bêbado. Isso me libertou, onde era como, ‘Não pense muito sobre isso’, que é mais ou menos o meu primeiro pensamento que Loki pensaria aqui. Eu apenas corri com ele, ‘O amor é uma adaga’. E, felizmente, como muitas das metáforas de Loki, quase funciona”.

Veja mais ›