Corte a beijo lésbico em Lightyear faz Chris Evans colocar a boca no trombone

O ator não entende como o assunto ainda é uma polêmica em pleno século 21

publicidade

Chris Evans confessou sua frustração com o banimento de Lightyear em alguns lugares por conta da relação entre duas mulheres retratada na animação. O governo dos Emirados Árabes Unidos, Arábia Saudita e Kuwait proibiram os cinemas de exibir o filme, que não vai estrear nestes países.

Em um bate-papo com a revista da Variety, Chris comentou sobre a decisão da Pixar de manter as cenas que foram alvo de críticas pelos países, e elogiou a atitude.

publicidade

Apesar disso, ele admitiu que ainda fica exasperado com como uma coisa que hoje em dia já deveria ser considerada normal ainda tem que criar esta polêmica.

“É difícil não ficar um pouco frustrado que isso tenha que ser um tópico de discussão. Que isso se torne uma ‘notícia’. O objetivo é que a gente chegue em um ponto onde isso é a norma, e isso não precisa ser uma coisa de ‘águas não descobertas’, que eventualmente isso seja apenas como as coisas são.”

A cena em questão envolver a personagem Alisha, que é lésbica e está se mudando com a namorada e formando uma família.

Alisha cumprimenta a namorada com um selinho, cena que havia sido anteriormente cortada pela Disney mas foi recolocada no filme por conta de protesto dos animadores.

publicidade

Mas o ator ainda falou sobre como ele próprio se sente em relação ao beijo lésbico do desenho: “É ótimo como as coisas são. Me perguntaram isso já algumas vezes, é legal, maravilhoso, me deixa bem feliz.” 

Outros banimentos pelo mesmo motivo aconteceram este ano

Xochitl Gomez como America Chavez em Doutor Estranho 2 (Reprodução / Marvel)
Xochitl Gomez como America Chavez em Doutor Estranho 2 (Reprodução / Marvel)
publicidade

Lightyear não é o primeiro filme este ano a passar pela situação. Há apenas alguns meses, Doutor Estranho no Multiverso da Loucura também foi banido nos mesmos países por conta da personagem América Chávez, que é lésbica e está proeminentemente no filme.

Na época do acontecido, o protagonista Benedict Cumberbatch comentou sobre o assunto e expressou sua indignação. Na opinião dele, a atitude é algo “completamente errado”:

“Essa é uma decepção esperada. Nós já conhecemos esses regimes repressivos e que a falta de tolerância deles é excludente com pessoas que merecem ser não somente incluídas, mas celebrada por quem elas são e ser feitas parte de sociedade e uma cultura que não pune eles por sua sexualidade. Parece algo completamente errado com tudo o que a gente já vivenciou como espécie, ainda mais globalmente como uma cultura.”

publicidade

Lightyear entra em cartaz nos cinemas de todo Brasil a partir desta quinta-feira, 16 de junho.

O que você achou? Siga @siteepipoca no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui.

Veja mais ›