Carla Perez esfrega na cara de Camilla Cabelo que ela não é a primeira Cinderela latina

publicidade

Carla Perez foi às redes sociais reivindicar o posto de primeira Cinderela latina. A declaração da dançarina aconteceu depois de Camila Cabello falar de seu orgulho de ser a “primeira Cinderela latina”.

Perez fez sua declaração nas redes sociais ao ser avisada por seus fãs sobre o depoimento da atriz. Em tom de brincadeira, a dançarina postou:

publicidade

“Que história é essa? Primeira Cinderela Latina? Respeita a Cinderela Baiana, meu amor”.

Perez foi a estrela no longa-metragem Cinderela Baiana (1998). O longa foi lançado nos cinemas no auge da carreira da loira do É o Tchan. O objetivo da produção era destacar a imagem da dançarina.

A apresentadora e dançarina ganhou o papel de protagonista da história que acompanha uma garota que sai do interior da Bahia para Salvador e ganha a oportunidade de trabalhar com a dança, um talento natural dela. No decorrer da história, a personagem de Carla Perez encontra Alexandre Pires, seu príncipe encantado.

publicidade

No Instagram Perez fez questão de citar a participação de Lázaro Ramos no longa-metragem para cutucar Camila Cabello. A dançarina chegou a compartilhar um vídeo em que Lázaro comenta algumas cenas do filme e as qualidades da produção, confira:

publicidade

Camila Cabello fez seu depoimento sobre o orgulho de ser a primeira Cinderela latina depois de protagonizar uma nova versão do conto clássico. Cinderela é o primeiro filme estrelado pela cantora cubana radicada nos EUA.

O longa foi produzido pela Amazon Prime e está disponível na plataforma. A estrela atua ao lado de nomes de peso no cinema como Billy Porter, que é sua fada madrinha.

Camila Cabello em Cinderela (Reprodução)
publicidade

A nova versão de Cinderela mostra uma abordagem contemporânea com uma protagonista ambiciosa. Os sonhos da mocinha são maiores do que o mundo torna possível, mas Fab G, a fada madrinha, a ajuda a realizá-los.

O longa procura mudar a narrativa misógina e machista presente nas versões anteriores. Porém, a crítica ficou dividida sobre a produção.

Sites como Variety exaltam a visão feminista do longa, que considera essencial para o percurso da história protagonizada por mulheres. No entanto, condena o ritmo inconsistente da sua narrativa e de acordo com o The Washington Post, a história é “estridente, atrevida e boba, tudo de uma vez.

publicidade

Cabello também dá voz a 14 músicas divididas entre covers e canções originais do filme.

O que você achou? Siga @siteepipoca no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui.

Veja mais ›