Ray Fisher volta lançar farpas contra Walter Hamada após extensão de contrato do executivo

Ray Fisher como Victor em Liga da Justiça
Ray Fisher como Victor em Liga da Justiça (Reprodução/ Youtube)

Na última terça-feira, foi revelado que o contrato de Walter Hamada foi estendido e ele continuará na direção da DC Films até o ano de 2023.

Pouco tempo depois que a notícia começou a circular, o ator Ray Fisher intérprete do personagem Cyborg em Liga da Justiça, utilizou seu Twitter para fazer algumas críticas sobre o acordo envolvendo o nome do executivo.

É estranho como esses anúncios reacionários de @wbpictures sempre esquecem de mencionar que Walter Hamada estava trabalhando diretamente com Geoff Johns e Toby Emmerich (no Shazam) DURANTE as refilmagens da Liga da Justiça”, escreveu o ator mencionando ainda que mais informações virão  “em breve”.

Entenda o caso

Acontece que, há pouco tempo, o ator acusou o diretor Joss Whedon de ser abusivo com os atores durante as gravações de Liga da Justiça, o que gerou um processo de investigações internas na Warner.

A investigação foi encerrada no final do ano passado e o estúdio revelou que tomou medidas corretivas contra os envolvidos na investigação. Entretanto, Ray Fisher, não ficou muito satisfeito.

“O seguinte foi retransmitido para mim em nome da @WarnerMedia às 5 da tarde de hoje: – A investigação da Liga da Justiça agora está concluída. – Isso levou a uma ação corretiva”, twittou Fisher após o anúncio da notícia no início de dezembro.

“Ainda há conversas que precisam acontecer e soluções que precisam ser encontradas. Obrigado a todos por seu apoio e incentivo nesta jornada. Estamos a caminho. Mais em breve. A> E”, acrescentou Fisher.

Racismo na Warner Bros.

Em entrevista à Forbes no verão passado, o ator disse que acreditava que a questão racial era um “fator determinante” nas decisões tomadas pelos executivos.

“Sempre suspeitei que a raça era um fator determinante para a forma como as coisas corriam, mas foi só no verão passado que pude provar isso”, falou.

“A questão racial foi apenas um dos problemas com o processo de refilmagem. Houve explosões massivas, ameaças, coerção, insultos, condições de trabalho inseguras, depreciação.”

Pelo que parece, tem muita coisa ainda a ser resolvida nos estúdios da Warner.

Um Psicólogo que estuda Medicina, ensina inglês, toca piano, ama escrever e tem um gato. =P


SIGA-NOS E VEJA MAIS


Veja mais ›