Ray Fisher acusa Joss Whedon de dar desculpa esfarrapada por causa de investigação sobre Liga da Justiça

Ray Fisher como Cyborg em Liga da Justiça
Ray Fisher como Cyborg em Liga da Justiça (Reprodução/ Youtube)

A saída do diretor do Joss Whedon de uma série da HBO está acendendo uma discussão antiga. Ray Fisher está dizendo que o diretor está usando uma tática para deixar a produção por causa do processo interno movido pela Warner Bros. devido ao filme Liga da Justiça.

Nesta terça-feira (25), o diretor Joss Whedon anunciou que iria deixar a série The Nevers, sua primeira série televisão regular desde Dollhouse.

O programa tinha sido encomendado pela WarnerMedia para a HBO, e ele alegou que iria sair pela impossibilidade de concluir as gravações.

Em seu comunicado, o diretor relatou “desafios físicos”, e um “nível de comprometimento”, que seriam necessários para fazer o programa acontecer no meio da pandemia do Covid-19. Mas o relato caiu nos ouvidos de Ray Fisher, ator de Liga da Justiça, como uma desculpa esfarrapada.

“Não tenho intenção de permitir que Joss Whedon use a velha tática de Hollywood de ‘sair’, ‘renunciar’ ou ‘ir embora’ para encobrir seu péssimo comportamento”, escreveu Fisher no Twitter.

“A investigação de Liga da Justiça da WarnerMedia está em pleno andamento há mais de 3 semanas. Este é, sem dúvida, um resultado disso”. Como de costume, Fisher concluiu seus tweets com a assinatura “A> E”, que significa “Responsabilidade sobre Entretenimento”, que ele tem usado com frequência desde que falou sobre sua experiência ruim nos sets de filmagem.

Sobre a acusação de Fisher, é comum que atores e diretores de televisão e cinema se afastem de seus projetos alegando divergências criativas, ou outros problemas, quando algo pode fazer com que fiquem queimados. Para o ator é isso o que está acontecendo.

Em julho deste ano, ele resolveu se abrir sobre o comportamento de Joss Whedon nos sets de Liga da Justiça, de 2007, ao assumir o posto de Zack Snyder (diretor que deixou o projeto devido à morte da filha). Fisher disse que ele tinha um comportamento grosseiro, e antiprofissional, e contou com o apoio de outros profissionais.

A Warner Bros Pictures abriu uma investigação interna para apurar o caso, mas o ator pediu que isso ficasse por conta da WarnerMedia, uma empresa que não tem em sua direção os profissionais antigos, que poderiam encobrir o assédio moral do diretor.

Comunicólogo balzaquiano, paulistano, e com experiência vasta nesse mundo virtual. Adorador de séries, filmes, quadrinhos, e tudo o que envolve a cultura pop.

Paulo Afonso

Comunicólogo balzaquiano, paulistano, e com experiência vasta nesse mundo virtual. Adorador de séries, filmes, quadrinhos, e tudo o que envolve a cultura pop.


SIGA-NOS E VEJA MAIS


Veja mais ›