Como protagonista de Chainsaw Man não se encaixa no molde herói Shonen

Denji tem muitas características que não se encaixam no famoso gênero de mangás publicados pela Shonen Jump.

publicidade

Chainsaw Man está entre os mais populares mangás da atualidade e em breve a história ganhará um versão em anime. Denji é um jovem endividado que acaba e ao se tornar um meio demônio vê sua vida transformada.

O site internacional ComicBook entrevistou o produtor Makoto Kimura, que comentou como Denji não se encaixa nos moldes de um herói da Shonen e que não há outro protagonista como ele.

publicidade

“A parte que realmente me atraiu no título é algo que mencionamos um pouco. Denji tem uma imagem de herói muito diferente. Normalmente, quando você tem um título da Shonen Jump, existem três características que os heróis exibem: perseverança, amizade e lealdade. Mas aqui é muito diferente”.

“Denji não é algo que você veria nesses títulos. Ele até ri como um vilão, sabe? É apenas uma perspectiva diferente do que você vê em um protagonista. Então, eu pensei que seria muito interessante”.

Denji é um personagem muito diferente de qualquer um que encontrará em publicações Shonen como One Piece ou My Hero Academia. O protagonista de Chainsaw Man tem um visão do mundo mais áspera e sombria.

Shonen são histórias voltadas para o público adolescente masculino, que engloba uma faixa etária entre 13 e 18 anos, seu equivalente feminino é chamado Shōjo.

Denji poderia se encaixar facilmente em publicações mais adultas como Attack on Titan ou mesmo Berserk, devido ao seu foco na sobrevivência. Essa estética não é comum nas publicações da Shonen Jump.

Incorporando visuais do mangá

publicidade
Chainsaw Man (Reprodução)
Chainsaw Man (Reprodução)

O Studio MAPPA é o responsável por adaptar o mangá Chainsaw Man em forma de anime. Em outra entrevista, Manabu Otsuka, o CEO do estúdio, falou sobre seu envolvimento na animação.

publicidade

Otsuka falou sobre incorporar os visuais do mangá de Tatsuki Fujimoto para a animação: “Quanto aos visuais, os detalhes minuciosos geralmente são deixados para o diretor [Ryu Nakayama]. O diretor está principalmente envolvido com o visual, enquanto eu checo tudo”.

“Não é algo em que eu fazia parte do visual desde o início, mas eu vejo isso como ele vem. Acho que o mais importante em termos de visual é ter em mente o que os fãs esperam da série original? Tipo, os fãs querem ter certeza de que a série realmente incorpora o que havia na arte original de Fujimoto-sensei. Quero ter certeza de que o apelo e o charme de sua arte sejam incorporados aos próprios visuais”.

No Brasil, a história é publicada pela Panini. O anime deve estrear ainda este ano na Crunchryroll.

O que você achou? Siga @siteepipoca no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui.

Veja mais ›