Peaky Blinders: Você identificou esses erros históricos na trama?

Peaky Blinders: Divulgação

Peaky Blinders é uma das séries da Netflix tem alcançado mais fãs com o passar do tempo, mas, ao longo de suas cinco temporadas, a produção cometeu alguns erros históricos (comuns às mais diversas adaptações históricas) que foram notados por poucos espectadores.

Está preparado para saber? Não vale brigar comigo depois, hein? São dados históricos…

A série é baseada em uma gangue que controlou a cidade de Brimingham durante um período de trinta anos e imprimiu cada detalhe com uma minuciosidade realmente invejável, porém ela se esqueceu ou decidiu de maneira deliberada modificar um detalhe considerável: os gangsters da vida real tiveram seu ápice entre os anos de 1870 a 1900, porém, a trama se passa na década de vinte.

Mas esse não foi o único erro histórico presente na série, já que a explicação relacionada ao seu título contrasta com os dados da realidade.

Acredita-se que os criminosos tinham a prática de costurar lâminas de barbear em suas boinas para atacar seus inimigos, entretanto, elas só começaram a ser fabricadas em 1890 e os verdadeiros Peaky Blinders não tinham condição para comprá-las porque eram absurdamente caras na época.

Mas engana-se quem pensou que para por aí… Some a essa sequência de erros malucos um fato que ninguém sabia até pelo menos alguns poucos meses atrás: os cigarros de filtro que os protagonistas utilizam em Peaky Blinders ainda estavam bem longe de serem inventados naquela época onde a trama da série se passa e seu uso só foi realmente se tornar comum muitas décadas depois.

Mas… erros históricos (que nem importam tanto) à parte, Peaky Blinders já se prepara para começar as filmagens de sua sexta temporada, que foi retrasada pelo coronavírus.

O diretor Anthony Byrne lamentou os atrasos, mas disse que, até 2022, os novos episódios da sexta temporada já estão disponíveis para o público.

Um Psicólogo que estuda Medicina, ensina inglês, toca piano, ama escrever e tem um gato. =P


SIGA-NOS E VEJA MAIS