James Gunn revela o que mais detesta em histórias em quadrinhos

James Gunn (Divulgação)
James Gunn (Divulgação)

Algo muito comum nos quadrinhos, principalmente entre os personagens mais queridos é acontecer uma morte inesperada e algumas edições depois este personagem retornar milagrosamente.

Em uma sessão de perguntas e respostas no Twitter, o diretor James Gunn revelou que o mais detesta nas histórias em quadrinhos é trazer de volta personagens constantemente.

Um fã comentou:

“Você já se preocupou que as ressurreições dos mortos em histórias ou séries eliminem as consequências ou os elementos de risco da história? Gotham, por exemplo, que eu me divertia assistindo, estava matando e ressuscitando personagens tão regularmente que eu realmente parei de me importar com qualquer um deles”.

Gunn respondeu:

“Sim, eu me preocupo com isso. Para mim, há uma diferença entre mortes verdadeiramente significativas e mortes reviravoltas na história, onde alguém parece morrer e então não morreu. Mas se você ordenhar essa morte – como, digamos, Yondu ou Tony Stark – é uma narrativa barata trazê-los de volta”.

Mais resposta

Na mesma sessão de perguntas e respostas, James Gunn fez outras revelações com relações a Guardiões da Galáxia.

Foi perguntando ao diretor sobre qual ou quais galáxia os Guardiões da Galáxia são guardiões. Ele respondem que a prioridade da equipe é a Galáxia de Andrômeda.

Outro fã perguntou se a morte de Gamora em Vingadores: Guerra Infinita estava nos planos de Gunn para a personagem.

O diretor disse que não tinha intenção de matar Gamora, mas foi consultado antes para que tal decisão fosse tomada.

Outros projetos

James Gunn agora está trabalhando no filme O Esquadrão Suicida e na série Peacemaker para a DC e a Warner Bros..

O longa metragem estreia dia 4 de agosto simultaneamente na HBO Max e nos cinemas. Enquanto Peacemaker está em seus estágios iniciais de produção.

Após estes projetos Gunn voltará para a Marvel para dirigir Guardiões da Galáxia vol. 3.


SIGA-NOS E VEJA MAIS


Veja mais ›