Explicado novo visual de Cortana na série Halo da Paramount+

publicidade

A Cortana na série Halo da Paramount+ não é exatamente a mesma que a personagem parece na franquia de videogames, revelaram trailers anteriores.

Em uma entrevista para o GamesRadar+ com Kiki Wolfkill, chefe do estúdio de transmídia da 343 Industries e produtora executiva de Halo, o novo design é um passo natural para muitas das mesmas razões que os modelos do jogo mudaram.

publicidade

“É tão engraçado, porque mudamos o design dela para cada jogo. E muito disso é impulsionado pela tecnologia. Muitas das mudanças de design à medida que progredimos nas gerações do jogo foram porque tivemos acesso a melhores gráficos, tecnologia, mais pixels e mais efeitos. E sempre se tratou de adaptar a Cortana ao ambiente. Nessa situação, é tão diferente dos jogos em que ela tem que se sentir real. E com isso, não quero dizer se sentir como um ser humano real. Ela tem que se sentir como uma IA real, um holograma real, e ser um personagem tão real quanto as pessoas estão agindo contra… Esse foi realmente o ímpeto ao projetá-la – como podemos fazê-la se sentir muito tangível neste mundo de Halo?”

Foi relatado na matéria que a visão realista da Cortana não estava nos episódios fornecidos para revisão pelos críticos, o que tornou difícil dizer como a IA parece em ação além do que foi visto nos trailers. Mesmo assim, até agora parece uma tentativa sólida de traduzir o sucesso dos videogames em uma série de ação ao vivo.

Halo estreia no dia 24 de março no Paramount+.

Recepção da crítica

Halo (Reprodução / Paramount+)
Halo (Reprodução / Paramount+)
publicidade

Os críticos que analisam os episódios de Halo comentaram o seguinte:

“É exatamente o que você espera. Enquanto Halo apresenta alguns pivôs menores nestas primeiras horas, há muito pouco o que estragar e menos ainda a despertar a curiosidade que ainda não está presente” – Ben Travers, indieWire.

publicidade

“A série possui um orçamento impressionante usado com sabedoria, com design de produção distinto distinguindo um local planetário para outro e naves espaciais passando por estrelas infinitas. Só isso permite que Halo acompanhe seus contemporâneos” – Caroline Framke, Variety.

“Ostentando nenhuma inovação tecnológica para falar, poucas performances para oferecer uma base significativa e apenas emoções de ação limitadas, Halo é agressivamente esquecível, o que está pelo menos vários passos acima de ‘ruim'” – Dan Fienberg, Hollywood Reporter.

O que você achou? Siga @siteepipoca no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui.

Veja mais ›