Clássico debochado da Disney comemora 20 anos de lançamento

(Divulgação)

Há 20 anos atrás, o debochado A Nova Onda do Imperador estreava nos cinemas. Considerada a obra-prima das comédias extravagantes, o filme foi lançado em 15 de dezembro de 2000.

A animação foi um dos primeiros filmes da ‘Era Experimental’ da Disney, época que o estúdio começou a produzir roteiros diferentes daqueles que o público estava acostumado.

A Nova Onda do Imperador sofreu significativas alterações durante seus seis anos de desenvolvimento e produção. O longa começou como um musical épico intitulado Kingdom of the Sun, que seria dirigido por Dindal e Roger Allers (co-diretor de O Rei Leão), mas foi transformado por executivos da Disney numa comédia leve.

Público e crítica elogiaram e se divertiram com essa hilariante aventura animada, repleta de humor em ritmo frenético para toda a família. Com isso, o filme conquistou uma legião de fãs, apresentando personagens memoráveis e carismáticos.

A música tema “My Funny Friend and Me” cantada por Sting, foi indicada ao Oscar® de Melhor Canção Original em 2000.

A versão dublada do filme se tornou muito querida pelo público. Selton Mello (Kuzco), Humberto Martins (Pacha), Marieta Severo (Yzma) e Guilherme Briggs (Kronk) souberam dar o devido respeito ao material original e criaram essa identificação ao espectador.

Selton Mello (Divulgação)

O filme teve uma continuação lançada diretamente em vídeo chamada A Nova Onda de Kronk (2005) e uma série de televisão chamada A Nova Escola do Imperador (2006).

Bilheteria

Em seu fim de semana de estreia, A Nova Onda do Imperador abriu em quarto lugar, arrecadando cerca de US$ 10 milhões de dólares, atrás de fortes competidores como Do Que As Mulheres Gostam e O Grinch. Ao todo, o filme conquistou US$ 89 milhões de dólares na bilheteria americana e mais US$ 89 milhões de dólares mundialmente.

À época, Roger Koehler, escrevendo para a Variety, comentou que o filme “pode não ter o sucesso de muitos dos filmes infantis do estúdio, mas será lembrado como o filme que estabeleceu uma nova atitude nas salas do departamento de animação da Disney”.

O filme pode ter nascido de uma conturbada produção e não ter rendido o esperado nas bilheterias, mas encontrou seu sucesso nas vendas de DVDs e VHSs na época, tornando-se o lançamento deste tipo mais vendido de 2001.

Em setembro de 2001, foi divulgado que 6 milhões de unidades VHS haviam sido vendidas, totalizando cerca de US$ 9 milhões em receita, enquanto que a versão DVD vendeu o dobro deste número. A receita geral ficou na média de US$ 125 milhões.

(Reprodução)

Sinopse

O arrogante e egoísta imperador Kuzco é transformado em Ihama pela malvada conselheira Yzma e seu capanga bonitão Kronk, para governar o reino dos Incas.

Agora o imperador, que sempre teve o mundo a seus pés, encontra-se perdido na floresta e a única chance de recuperar seu trono é se aliando ao simpático camponês chamado Pacha.

O filme encontra-se disponível no streaming Disney+.

Formado em Criação e Produção Audiovisual pelo CBM (Centro Universitário Barão de Mauá). Frequentador assíduo das salas de cinemas, é também colecionador há anos de filmes em DVD e Bluray. Atuou como produtor e editor do SBT e na redação de blogs e sites em geral. Atualmente, trabalha como redator do E-Pipoca.


SIGA-NOS E VEJA MAIS


Veja mais ›