Alita: Anjo de Combate pode ganhar continuação no Disney+

(Divulgação)

Em uma entrevista à Forbes, o diretor Robert Rodriguez declarou que uma sequência para Alita: Anjo de Combate poderia acontecer no Disney +, animando os fãs do subestimado filme de ação e ficção científica produzido por James Cameron.

“Eu acho que tudo é possível. A Disney comprou a Fox, e eles têm o Disney +, então vale a pena conversar“, disse o diretor. Eu sei que muitas pessoas adorariam ver a sequência, e eu adoraria fazer outro. Em relação sobre onde ou como seria feito, acho que o streaming abriu muitas oportunidades, como sequências”.

“Já é um conceito pré-vendido, já tem um público integrado que quer ver e, em seguida, é entregue a eles da maneira mais fácil para eles consumirem. Então, não é uma má ideia”.

Lançado em 2019, Alita não obteve o sucesso absoluto de bilheteria esperado pela Fox, porém o sucesso encontrado pelo longa após sua chegada ao streaming, home-video e mídia física mantém viva a esperança dos fãs que torcem por uma sequência.

O filme fez US$ 404 milhões na bilheteria mundial.

Alita: Anjo de Combate, baseado no mangá Battle Angel Alita, conta a história da personagem-título, que vive em um mundo cyberpunk ambientado no século 26. Na trama, o caçador de recompensas Daisuke Ido encontra uma ciborgue avariada e resolve tratá-la como filha, dando-lhe o nome de Alita. Inspirada no pai adotivo, a menina decide, então, tornar-se também uma caçadora.

Robert Rodriguez (Divulgação)
Robert Rodriguez (Divulgação)

Boas experiências

Rodriguez tem tido experiências positivas com plataformas de streaming nos últimos meses. Além de dirigir um dos episódios mais aclamados da segunda temporada de The Mandalorian, o diretor também lançou Pequenos Grandes Heróis, filme da Netflix situado no mesmo universo de Sharkboy & Lavagirl (2005).

Robert revelou que a equipe que trabalhou em Pequenos foi a mesma de Alita e elogiou os profissionais envolvidos nos efeitos:

“Quando WETA, com quem eu tinha feito Alita, interveio e disse que adoraria continuar trabalhando comigo mesmo que esse fosse um orçamento muito menor do que tínhamos para Alita, não importava quanto tempo tinha passado, mas eu sabia o quão bom eles eram. Eles fizeram um ótimo trabalho. Eu não esperava esse nível de efeitos”.

Formado em Criação e Produção Audiovisual pelo CBM (Centro Universitário Barão de Mauá). Frequentador assíduo das salas de cinemas, é também colecionador há anos de filmes em DVD e Bluray. Atuou como produtor e editor do SBT e na redação de blogs e sites em geral. Atualmente, trabalha como redator do E-Pipoca.


SIGA-NOS E VEJA MAIS


Veja mais ›