Fim da vida de Elvis Presley foi perturbador e misterioso

Autópsia do astro é mantida em sigilo há 45 anos

publicidade

Nesta semana o mundo ganhará uma nova perspectiva da vida de um dos mais icônicos cantores do mundo, Elvis Presley, com a estreia de Elvis, nos cinemas de todo país, uma cinebiografia que conta como surgiu e ascendeu à fama o Rei do Rock.

Apesar de ter se tornado um dos nomes mais conhecidos do mundo, infelizmente, não são apenas de boas lembranças que se faz a história de Elvis, o fim de sua vida foi bastante complexo e perturbador, assim como sua morte.

O mundo ganhou e perdeu o talento maravilhoso na música e na dança do Rei do Rock, sensual demais para sua época, cedo demais, com sua morte repentina aos 42 anos de idade, em 16 de agosto de 1977.

Elvis foi encontrado morto no banheiro de sua mansão, a Graceland, em Memphis, Tennessee, com um estranho mistério envolvendo a causa da morte, que inicialmente foi omitida, com a única explicação divulgada sendo de ele ter sofrido uma queda e morrido.

Delores Hart, Elvis Presley e Carolyn Jones em A Batalha Sangrenta (Divulgação)
Delores Hart, Elvis Presley e Carolyn Jones em A Batalha Sangrenta (Divulgação)
publicidade

Mais tarde foi divulgado que ele teria vindo a falecer de uma parada cardíaca, que não teria envolvimento com seu abuso de medicações, algo que foi discutido por um longo tempo onde muitos especialistas apontavam o uso abusivo de drogas farmacêuticas como causador em algum nível.

Até hoje o caso é envolvido por um grande mistério, devido às informações da autopsia do cantor terem sido colocadas em sigilo por 50 anos a pedido de sua família, decisão que nunca foi explicada.

O uso abusivo de medicamentos ao longo de seus últimos anos de vida era bastante evidente, principalmente após seu divórcio do grande amor de sua vida e mãe de sua única filha, Priscilla Presley.

No mesmo ano em que se divorciou, ele chegou a ficar em coma por três dias devido uma overdose, o que aparentemente só piorou com o passar dos anos, já que foram identificados cerca de 10 medicamentos diferentes em seu corpo quando ele morreu.

Elvis em sua última apresentação menos de dois meses antes de sua morte (Divulgação/CBS)

Uma investigação realizada tendo seu médico como réu, descobriu que, somente em seus últimos 20 meses de vida, foram prescritos 12 mil medicamentos a ele.

Ele também ganhou muito peso, chegando a pesar 160 kg, o que possivelmente agravou ainda mais seus problemas de saúde causados pelo uso abusivo de medicamentos, que iam de glaucoma, a coração inchado, enfisema pulmonar e constipação crônica, entre outros.

Com tantos problemas de saúde, há inúmeras possibilidades para o que causou a morte do Rei do Rock, algo que ainda será uma grande dúvida por pelo menos mais cinco anos, até que o sigilo que protege as informações de sua autópsia tenha seu prazo vencido.

O que você achou? Siga @siteepipoca no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui.

Veja mais ›