Ator chama trabalho em Doutor Estranho de “autoterapia”; entenda

Benedict Cumberbatch vê a situação de seu personagem como transformar visões diferentes de sua vida em realidade

publicidade

Doutor Estranho no Multiverso da Loucura chega nesta semana aos cinemas ampliando de uma vez por todas o multiverso e suas possibilidades, com versões diferentes de Stephen Strange, parte do trabalho que Benedict Cumberbatch chamou de autoterapia estranha.

O ator conversou recentemente com o site americano Collider, dando sua visão do que acontece com seu personagem no filme, que, em seu ponto de vista, é como transformar visões diferentes de sua vida em realidade.

“Essa estrutura narrativa multiversal ou ideia está em nossas próprias vidas. Desempenhamos vários papéis. Temos uma capacidade incrível e espaço imaginativo em nosso subconsciente para nos imaginarmos em diferentes circunstâncias em nossa paisagem dos sonhos”, ele começou explicando.

publicidade

Ele prosseguiu lembrando que as versões de Strange são o que ele seria se tivesse feito escolhas diferentes em sua vida.

“Eu sinto que isso é uma extrapolação disso, no sentido de que ele está encontrando outras versões que são essencialmente ele, mas eles fizeram escolhas diferentes em circunstâncias diferentes com diferentes resultados”, ele concluiu o pensamento.

Teaser de Multiverso da Loucura mostrou variante de Doutor Estranho (Reprodução)

O astro descreveu sua maneira de ver a experiência de ter que interpretar diferentes versões de um mesmo personagem.

publicidade

“É um ótimo combustível para uma forma de autoterapia muito estranha e espetacular, na verdade. São conversas, não só comigo, como ator, com meu personagem, mas com outras versões do personagem”, ele afirmou.

Apesar de parecer um pouco confuso e uma tarefa complicada dar vida a vários Stephen Strange, ele admitiu que se divertiu bastante fazendo e que seu diretor o ajudou muito a transformar o resultado no melhor possível.

publicidade

“É muito divertido mudar o visual, mudar a atitude ou os maneirismos ou as habilidades, e mostrar que ele é o mesmo, mas diferente. É um bom equilíbrio. Nós empurramos em alguns níveis, e menos em outros. Há a habilidade de refinamento que Sam (Rami) tem, para manter toda essa complexidade e eu só queria aproveitar o máximo de oportunidades possível. Foi uma maravilhosa porta de entrada para fazer isso”, ele garantiu.

Doutor Estranho no Multiverso da Loucura estreia nas salas de cinema de todo país nesta quinta-feira, 5 de maio.

O que você achou? Siga @siteepipoca no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui.

Veja mais ›