Não Foi Minha Culpa: Atriz precisou de terapia após viver vítima de violência em nova série

Lorena Comparato precisou ter acompanhamento psicológico durante e após a produção

publicidade

Conhecida por dar vida a mulheres fortes, Lorena Comparato não hesitou em aceitar o desafio de interpretar Priscila, uma mulher vítima de violência na nova série da Star+, Não Foi Minha Culpa, algo que foi ainda mais difícil do que ela imaginava.

Durante uma entrevista exclusiva para o E-Pipoca, a atriz falou sobre sua experiência na série, destacando como ela foi transformadora e extremamente desafiadora.

“Foi realmente muito catártico. Foi muito difícil. Foi uma série que a gente fez preparações virtuais, a gente fez muitas reuniões com a Maria Roberta Perez, que é uma preparadora de elenco maravilhosa, para a gente conversar, analisar o tema, e conseguir chegar no ponto que a gente queria chegar na série com cuidado, com afeto, com carinho”, ela explicou.

publicidade
Lorena Comparato em cena de Não Foi Minha Culpa (Reprodução Youtube)

Ela revelou também que precisou de ajuda profissional para não ter seu psicológico altamente atingido ao dar vida a Priscila, devido a intensidade e peso da personagem e a história que ela vive.

“Fiz muita terapia, ainda faço, porque para você fazer essas histórias, contar essas histórias, eu acho que tem que ter um apoio psicológico para a gente conseguir. É chegar nesses buracos com segurança psíquica”, ela contou.

Apesar de não ter sido um papel fácil, Lorena amou a oportunidade de trabalhar na série, que ela considera que será uma excelente ferramenta, para evidenciar a triste realidade de tantas mulheres brasileiras.

publicidade

“Em todo momento que eu tava fazendo a Priscila eu entendi que era uma série de denuncia. Era uma série para abrir os olhos da sociedade. É uma série que eu espero que salve pessoas. É nesse nivel que eu vejo meu trabalho”.

“Foi um trabalho feito com muita delicadeza, muito cuidado, mas muito puxado também. Eu tive crise de choro. Às vezes eu tinha que parar um pouco para conseguir fazer as cenas, que são muito fortes durante a série toda”.

“Tem cena de estupro, tem cena de violência, e a gente sabia que a gente tava fazendo aquilo ali retratando a realidade brasileira séria da violência doméstica, a realidade da mulher, principalmente mulheres pretas”, ela salientou.

Lorena Comparato e Armando Babaioff em cena de Não Foi Minha Culpa (Reprodução/Twitter)
publicidade

A atriz destacou, ainda, como a produção da série fez questão de ter diversidade, afinal violência contra a mulher não tem lugar, cor e nem idade, acontece na favela e em chiques condomínios, com mulheres brancas e negras, jovens e maduras.

“Eu ainda fiz uma personagem que sofria violência dentro de casa, mas tem mulheres que sofrem violência em diversos lugares”.

“Nessa série tivemos um elenco diverso, que é uma grande preocupação minha e da Bianca (Comparato, irmã), pois a gente (da série) queria realmente mostrar a diversidade de mulheres que sofrem violência, que são todas”.

“Então, tentamos mostrar um pouco de tudo, foi muito emocionante, mas muito doloroso”, ela concluiu.

Não Foi Minha Culpa chega ao Star+ em 10 de agosto.

O que você achou? Siga @siteepipoca no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui.

Veja mais ›