Ricky Martin é obrigado a comparecer a tribunal de Porto Rico nesta quinta-feira

Artista foi acusado de violência e abuso sexual por um sobrinho

publicidade

Nesta quinta-feira (21), o cantor e ator Ricky Martin precisará comparecer a um tribunal de Porto Rico, onde a juíza Raiza Cajigas decidirá se prorrogará ou não a ordem de restrição em favor de um homem que afirma que foi abusado pelo artista.

A ordem, que expira hoje, foi emitida no último dia 2, quando o homem, cuja identidade foi preservada, registrou a queixa, alegando violência doméstica.

publicidade

Martin, entretanto, negou as acusações e qualquer envolvimento com o assunto.

Um dos advogados do cantor, Joaquin Monserrate, afirmou que o caso está sendo analisado com a devida atenção e reafirmou a inocência de seu cliente.

Além disso, ele explicou que a queixa é apenas civil e que nenhuma acusação criminal foi de fato formalizada.

“Estamos tratando dessa questão com diligência e estaremos preparados no tribunal na quinta-feira.”

publicidade

Ricky Martin não está, nunca esteve e nunca estará envolvido em qualquer tipo de relacionamento romântico ou sexual com o sobrinho dele”, afirmou o advogado ao site americano Vulture.

Ricky Martin em American Crime Story The Assassination of Gianni Versace
Ricky Martin em American Crime Story The Assassination of Gianni Versace (Divulgação/ FX)
publicidade

No Twitter, o astro pop afirmou que as alegações são “completamente falsas” e disse que não iria comentar o assunto, pois ele já está sendo na justiça.

O nome do acusador foi mantido em sigilo, seguindo os regulamentos relacionados à violência doméstica, porém, a imprensa internacional divulgou no sábado (16) que se trata de um sobrinho do artista.

O advogado explicou que o sobrinho de Ricky sofre com problemas de saúde mental e, por isso, fez as acusações.

publicidade
Ricky Martin
Ricky Martin (Reprodução)

Ricky Martin já se queixou por não receber papéis por ser gay

O ator venceu um Emmy por sua participação na série American Crime Story e esperava que o prêmio traria um efeito mais positivo para sua carreira como ator, mas não conseguiu tantos papeis como imaginava.

“Eu amo atuar. Estou esperando por esses roteiros, por ótimos roteiros. Posso interpretar gays, posso interpretar héteros, posso interpretar um serial killer. Posso fazer um latino, mas também posso fazer um europeu. Estou pronto. Só me dê [um papel], cara. Dê para mim”, disse Martin à revista People.

publicidade

“Não sei se não estou conseguindo papéis porque sou gay. Mas se esse for o caso, é muito triste. Vou continuar trabalhando até que a vida seja diferente”.

O que você achou? Siga @siteepipoca no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui.

Veja mais ›