Petição pede cancelamento de filme da cantora Sia

Sia / Maddie Ziegler (Divulgação)
Sia / Maddie Ziegler (Divulgação)

Sia estreou como diretora, mas seu novo filme está causando um grande polêmica.

O filme Music conta a história de Zu (Kate Hudson), uma traficante de drogas recém-sóbria que viveu um bom tempo afastada da família.

Ela se vê como a única guardiã de sua meia-irmã autista adolescente, Music (Maddie Ziegler), após a morte de sua avó, que criou a garota.

O fato de Ziegler interpretar um autista não agradou boa parte do público, que fez uma petição no Change.org para o cancelamento do filme, já que existem atores e atrizes autistas que poderiam interpretar o papel.

Nina Skov Jensen e Rosanna Kataja, criadoras de uma das petições, escreveram o seguinte:

“O fato de Music ter sido indicada para dois prêmios Globos de Ouro ilustra o completo desprezo que toda a indústria do entretenimento tem pela inclusão e representação minoritária. Só usa o autismo como inspiração para fazer os neurotípicos se sentirem bem com sua suposta ‘superioridade’. Apesar de alegar que seu filme é uma ‘carta de amor aos cuidadores e à comunidade autista’, ela está na verdade dizendo à comunidade autista que não se importa com eles”.

A petição no Change.org ainda acrescenta:

“Como alguém age como autista, você pode perguntar. Se olharmos para a interpretação de Ziegler, a resposta é imitar estereotipadamente as pessoas autistas exatamente da mesma forma que as pessoas autistas foram intimidadas e zombadas suas vidas inteiras. Também reforça a ideia de que as pessoas autistas não são boas o suficiente e que seu autismo é melhor retratado por alguém sem nenhuma noção do que é ser autista”.

Outras pessoas disseram que as ações de Sia foram “imprecisas e [uma] traição dolorosa da comunidade”.

Além de alegarem que o filme foca em tratamentos desumanos dos autistas na história, além de usarem de estereótipos e visuais que impossibilitam autistas assistirem ao filme.

Zoe Gross, diretora de defesa da Autistic Self Advocacy Network, declarou:

“A comunidade autista vem lutando há décadas para acabar com o uso de restrições que traumatizam e matam”.

No Twitter, Sia pediu desculpas pela polêmica que causou com seu filme, onde escreveu que ouviu as “as pessoas erradas” ao longo da produção do filme.

Ela também prometeu contratar profissionais para melhorar a experiência do filme para autistas, bem como colocar um aviso no início do longa metragem.

A conta no Twitter da Sia encontra-se até o momento desativada.

Em 24h a petição alcançou mais de 60 mil assinaturas.

Formado em administração e psicologia. Fez curso de desenho com especialização em cartoons. Adora videogame, animações e filmes e séries de super heróis e monstros.


SIGA-NOS E VEJA MAIS


Veja mais ›