Lightyear não agrada público e é a maior decepção da Pixar

Filme não consegue se destacar e tem baixos números de bilheteria

publicidade

Apesar de toda a campanha de marketing e de todo o apelo já existente em torno da franquia Toy Story, Lightyear não conseguiu conquistar o público. O filme é, atualmente, a segunda pior bilheteria do estúdio.

De acordo com os dados que foram divulgados pelo BoxOffice, foi somente neste fim de semana, após quase um mês nos cinemas, que o longa alcançou a marca de 200 milhões em bilheteria mundial, número considerado baixo para as expectativas.

publicidade

Com isso, a produção fica atrás apenas de Dois Irmãos, que foi prejudicado pela pandemia, e é o maior fracasso da Pixar até hoje.

Cenas do filme Lightyear

Veja os números abaixo:

Tim Allen quebra o silêncio sobre não estar em Lightyear

Em uma entrevista que concedeu ao site americano ExtraTV, o ator comentou que ele mesmo já tinha tido a ideia de fazer um filme solo do Buzz Lightyear, mas, explicou que conseguiu entender por que ele não foi convidado para dar voz ao personagem que interpretou por tantos anos.

publicidade

“Eu fiquei fora disso, porque não tem nada a ver com [os filmes originais]. Falamos sobre [uma história autônoma] há muitos anos. Surgiu em uma das sessões. Eu disse: ‘Que filme divertido que seria’. Nós conversamos sobre isso. Mas o bronze que fez os quatro primeiros filmes não é isso. É uma equipe totalmente nova que realmente não teve nada a ver com os primeiros filmes”, ele salientou.

Buzz Lightyear em Lightyear (Reprodução / Disney)
Buzz Lightyear em Lightyear (Reprodução / Disney)

Ele também comentou que não entendeu o conceito de ‘live-action animado’

publicidade

“Achei que fosse um live-action. Quando eles disseram que estavam fazendo live-action, isso é o que eu pensei que significasse humanos reais, e não uma coisa animada”, ele explicou o motivo de não entender o fato de ser uma animação.

“E realmente, como Hanks e eu dissemos, realmente não há Buzz sem Woody, então não tenho certeza com a ideia. Eu sou um cara de enredo.”

“Se isso fosse feito em 1997, pareceria uma grande história de aventura e, como vejo, não é uma grande história de aventura. É uma história maravilhosa. Simplesmente não parece ter nenhuma conexão com o brinquedo”, ele destacou.

O que você achou? Siga @siteepipoca no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui.

Veja mais ›