Mamata que nada! Diretor de cinema relata como é difícil usar lei de incentivo no Brasil

Cineasta está prestes a lançar filme que produziu sem nenhum incentivo governamental

publicidade

Prestes a estrear um novo filme nos cinemas, Sistema Bruto, o qual ele produziu sem incentivo governamental nenhum, Gui Pereirase abriu sobre as dificuldades que cineastas nacionais, como ele, tem para fazer uso da Lei Federal de Incentivo à Cultura.

Em uma recente conversa exclusiva com o E-Pipoca, o diretor lembrou do quanto foi difícil obter o incentivo previsto na lei, também conhecida como Lei Rouanet em sua primeira produção.

“A gente experimentou isso (a dificuldade de conseguir o incentivo) quando lançou o nosso primeiro projeto, o Coração de Cowboy. Sempre foi difícil, antes era difícil. Agora está mais difícil ainda, sempre foi muito difícil”, ele desabafou.

publicidade

Ele destacou que o fato das pessoas não entenderem como se dá o incentivo promovido pela Lei, acabou fazendo com que se criasse um enorme preconceito, o que dificulta ainda mais para que as produções consigam a ajuda.

“Tem muito preconceito em cima dessas leis de incentivo, porque muitas pessoas não sabem direito como que ela funciona, e a própria lei Rouanet trocou até de nome porque tem muito preconceito embutido aí”.

“Não é só pegar dinheiro e gravar, tem todo um processo, é como se fosse o que a gente fez (em Sistema Bruto, financiado com incentivo privado), porém, com incentivo fiscal para a empresa, algo que sempre foi muito difícil”, ele afirmou.

Gui Pereira durante as filmagens de Sistema Bruto (Divulgação)

O fato de ser de uma produtora independente também não facilita o processo, segundo Pereira, que ressaltou o fato das empresas só se interessarem em financiar projetos de grandes produções.

publicidade

“Acho que o mais difícil mesmo é você ter os contatos das pessoas, quer queira quer não as grandes empresas ainda trabalham basicamente com as produtoras grandes. É muito difícil que uma empresa grande de abertura ou queira entender mais sobre um projeto de uma produtora independente”, ele salientou.

O cineasta finalizou afirmando que as mudanças feitas na Lei não a melhoraram em nada e que ele acha que a Lei devia passar por uma grande reforma.

publicidade

“Então, sempre foi muito difícil, agora está um pouco mais, digamos assim. Eu sou a favor de ter algum tipo de reforma que favoreça o pessoal iniciante, querendo começar, querendo mostrar um pouco mais do trabalho”.

“Acho que eles batalharam para mudar (a Lei), mas não mudou muita coisa e não melhorou, está na mesma. Sempre foi muito difícil e continua difícil, é uma pena, porque se ela for aplicada de uma maneira correta, a gente conseguiria fazer muito mais projetos, que a gente consegue fazer”, ele opinou.

Sistema Bruto ainda não tem uma data de estreia, mas está programado para chegar aos cinemas até o fim do ano.

Coração de Cowboy está disponível para alugar na Apple TV, Youtube e Google Play Filmes e TV.

O que você achou? Siga @siteepipoca no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui.

Veja mais ›