Editor de Esquadrão Suicida revela principais mudanças feitas no filme original

Jared Leto e Margot Robbie em Esquadrão Suicida (Foto: Divulgação)

Vem aí O Esquadrão Suicida, de James Gunn. O filme conta uma nova história com alguns rostos que o público conheceu em Esquadrão Suicida (2016). O filme, editado a mando da Warner Bros. amargou críticas negativas, e por isso os fãs pedem que o estúdio lance a versão original, como foi pensada por seu diretor, David Ayer.

Um dos editores do filme, revelou numa nova entrevista para o site CinemaBlend, o que acabou sendo deixado de lado na edição, e como o processo acabou afastando o que o diretor planejou. Kevin Hickman, disse que todo o conceito acabou modificado.

“Foi bem mais de uma centena de metros de filme que usamos em Esquadrão Suicida, e foi um filme muito grande. Grande conjunto com tantos personagens que você tem que apresentar e configurar sua história de fundo e no final desenvolver uma camaradagem entre todos eles. Então, Esquadrão Suicida foi um desafio porque tínhamos tantos personagens e em algum momento nós o exibimos para o estúdio e eles queriam levar as coisas em uma direção diferente. [Warner Bros queria que a] origem dos personagens acontecesse muito mais perto do início e inserisse um nível de comédia no filme”, começou.

No ano passado, com os fãs do Snyder Cut fazendo com que o filme finalmente fosse anunciado, David Ayer resolveu explicar que a Warner ficou com medo que Esquadrão tivesse o mesmo tom sombrio de Batman vs. Superman: A Origem da Justiça, que segundo o estúdio, afastou os espectadores.

“Acabamos tendo que reestruturar a forma como os personagens foram apresentados. Isso foi algo com que brincamos até o filme terminar. Na estrutura original, os personagens são introduzidos de forma linear e da maneira que acabou, passamos os primeiros 20 minutos como bam, aqui está esse cara, bam, aqui está essa pessoa, aqui está sua origem, aqui está sua história de fundo. Então nós meio que empurramos tudo na cara do espectador para que pudéssemos continuar a história. Considerando que na estrutura original, meio que aconteceu em muitos eventos. Então você está em 45 minutos de filme e agora estamos conhecendo essa pessoa e vendo sua história. Assim, encontramos uma forma de tornar o filme mais eficiente no que diz respeito à abertura e apresentação de todos os personagens”.

O que não deveria ter saído na edição

Coringa (Jared Leto) e Arlequina (Margot Robbie) (Reprodução)

Quando questionado sobre o único aspecto do filme que Hickman gostaria que tivesse permanecido, o editor do filme disse o seguinte:

“Jared Leto! Ele fez um trabalho muito bom ao interpretar o Coringa. Sei que há muitas opiniões sobre o assunto, mas gostei muito do que ele fez. Ele realmente deu vida a um personagem psicótico e por causa do tempo de execução e porque Jared forneceu tanto material, não fomos capazes de usar muito dele. E para grande parte do material, simplesmente não conseguíamos encontrar um propósito para isso, porque às vezes ele simplesmente entrava em tangentes loucas e insanas e seria muito difícil tecer isso no filme. Às vezes, simplesmente não era apropriado para o que ele estava fazendo, mas teria sido bom ter mais daquele personagem Coringa um pouco mais desenvolvido do que o que saiu no filme”.

David Ayer chegou a dizer que o público não teve a oportunidade de saber quão grandioso Leto foi nas filmagens, mas recentemente ele reprisou o personagem em Liga da Justiça de Zack Snyder.

Comunicólogo balzaquiano, paulistano, e com experiência vasta nesse mundo virtual. Adorador de séries, filmes, quadrinhos, e tudo o que envolve a cultura pop.

Veja mais ›