Documentário não passa pano para Adriano, Imperador, afirma diretora

Ela também comentou sobre a difícil tarefa de fazer o introspectivo atleta se abrir

publicidade

Ao ser convidada para dirigir a série documental da Paramount+, Adriano, Imperador, Susanna Lira assumiu a responsabilidade de mostrar a vida do famoso jogador, que vai muito além do que a imprensa mostra e ela revelou seu real objetivo neste trabalho.

Durante uma coletiva de imprensa realizada na última terça-feira (19), a diretora ressaltou que o documentário dará às pessoas uma chance de conhecer melhor Adriano e compreender como perder o pai foi difícil para ele e influenciou toda sua vida.

“O objetivo desta série para mim foi tentar traduzir o Adriano para uma compreensão maior, não no sentido de ‘passar pano’, até porque eu tive toda liberdade para fazer a série da maneira como eu achei que deveria ser”, ela ressaltou.

publicidade
Susanna Lira na Coletiva de Imprensa de Adriano, Imperador (Foto Cleiby Trevisan)

Susanna apontou que é possível compreender melhor o jeito de ser e o caminho percorrido pelo astro do futebol, quando se conhece sua história e tragédia pessoal mais profundamente.

“Acho que quando você se aproxima de uma pessoa, conhece a família, conhece a história, e particularmente a história da perda do pai do Adriano, que para mim é um ponto de virada na vida dele”

“Não quero dar spoiler na série, mas quem for assistir vai entender um pouco da personalidade dele, até hoje a coisa de ser introspectivo, tímido, isso tudo tem a ver com algo que ele passou que marcou ele para sempre. Ele é um homem a ser compreendido”, ela afirmou.

Ela reiterou que o intuito da série é simplesmente levar ao público uma visão real do atleta, e não endeusa-lo, tanto que algumas boas ações dele não chegaram a ser citadas.

publicidade

“Tem coisas que nem está na série, sobre coisas que o Adriano fez e faz para a família dele, que a gente nem quis colocar, porque não vinha ao caso, mas acho que se as pessoas chegarem mais perto dele, elas vão compreender a dimensão do que é esse Imperador.

Bastidores das filmagens do documentário Adriano, Imperador (Divulgação)
publicidade

Quanto a dificuldade de acessar a história de Adriano, sendo ele uma pessoa tão introspectiva e reservada, a cineasta admitiu que não foi fácil, mas que conseguiu fazer ele se abrir e que teve uma boa ajuda.

“Eu acho que foi muito difícil por um lado, mas por outro lado, ele tem uma família que é muito afetiva e muito próxima a ele, que colaborou muito. A mãe dele, as tias dele, o Rafa, o Tiago tem um entorno que é muito fácil de lidar. São pessoas muito abertas, muito transparentes. Isso me ajudou muito”, ela salientou.

Ela acrescentou que conseguiu fazer o jogador falar quando disse a ele que não importava o que os outros falavam, mas a história real dele, que ele estava tendo a oportunidade de contar.

publicidade

“Ele é tímido, de natureza, quanto a isso, a gente teve que lidar, mas eu acho que ele conseguiu abrir a alma dele. Eu acho que essa série consegue traduzir através dele mesmo. Que a gente consegue entender a alma deste homem, que é complexo, mas fascinante ao mesmo tempo, pois é muita história, muita densidade ali”, ela concluiu.

Adriano, Imperador estreia com exclusividade no serviço premium da Paramount+ em 21 de julho.

O que você achou? Siga @siteepipoca no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui.

Veja mais ›