Tom Hanks conta por que quis papel de “vilão” em Elvis

Ator explicou que nunca tinha visto sequer uma foto do homem que realmente existiu

publicidade

Vivendo na mente de muitos fãs com a imagem de um personagem bonzinho como tantos que interpretou nas suas décadas de carreira, Tom Hanks revelou por que topou viver o Coronel Tom Parker, o ‘vilão’ da nova cinebiografia que conta a história de Elvis.

O ator de 65 anos conversou com a revista Entertainment Weekly e revelou mais sobre o seu processo de contratação para o filme e os motivos que o fizeram aceitar um personagem que claramente fez mais mal do que bem na vida do Rei do Rock.

publicidade

Tom e Baz Luhrmann, diretor do filme, conversaram muito sobre o papel, e Tom ficou intrigado com Parker, que apesar de ser uma figura notória na carreira de Elvis, nunca ficou conhecido por sua personalidade ou forma de se comportar, além do rótulo de ‘agente mal intencionado e aproveitador’, o que deixou o ator intrigado:

“Conversamos por mais de uma hora. […] Baz disse: ‘Não existiria um Coronel Tom Parker sem Elvis. E certamente não existiria Elvis sem o Coronel Tom Parker’. E quando ele disse aquilo, eu respondi: ‘isso é algo novo’. Porque eu não sabia nem como era a aparência do Coronel Tom Parker. Eu não sabia como era a voz dele. Eu nunca tinha visto uma foto dele. Ele nunca se identificou como nada além de um ventríloquo, meio malvado, um gerente ganancioso que tirou vantagem de Elvis desde o início. Esse é o estereótipo que acompanha o personagem.”

Eu tive o luxo de essencialmente recriar alguém que ninguém conhecia de verdade. Eu tive uma camada diferente de expectativas sobre mim”, confessou.

Hanks também comparou o personagem com os vilões criados pelo célebre autor William Shakespeare. Para o ator, assim como nas histórias do autor, o Coronel estava em uma área cinza entre o bem e o mal que tornava ele irresistível de interpretar:

publicidade

“Se Shakespeare procurasse representar uma personagem histórica hoje em dia, ele não precisaria procurar além do Coronel e Elvis. O Coronel é como Falstaff [personagem recorrente de Shakespeare] com uma serra elétrica. Porque os vilões de Shakespeare nunca são só malvados. O Tom Parker fez coisas diabólicas de verdade, mas também fez coisas genialmente extraordinárias. Tudo sobre ele é um paradoxo e isso foi o que fez ele tão delicioso.

Tom Hanks é Coronel Tom Parker e Austin Butler é Elvis Presley em Elvis (Reprodução)
Tom Hanks é Coronel Tom Parker e Austin Butler é Elvis Presley em Elvis (Reprodução)

Tom Hanks sabia que seria o ‘Pôncio Pilatos’ da história

publicidade

O ator também fez uma comparação da dinâmica entre seu personagem e o de Elvis com a história de Jesus Cristo. Segundo ele, a performance perfeita de Austin Butler garantia que ele tivesse a liberdade de fazer o que quiser com o Coronel, uma vez que o foco de todo mundo estaria no protagonista:

“Interpretar Elvis é como interpretar Jesus. Não importa de verdade quem vai ser o Pôncio Pilatos porque se você tiver um bom Jesus, tá tudo certo. Mas o desafio para mim, além da liberdade com o personagem, era ter essa aparência planejada todos os dias, porque o que você tira daquilo é uma armadura que ele usa.”

Elvis entra em cartaz nos cinemas do Brasil a partir do dia 14 de julho.

O que você achou? Siga @siteepipoca no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui.

Veja mais ›