Sensação dos anos 90, modelo ficou desfigurada após plástica e revela resultado de processo

Modelo sofreu um processo conhecido como Hiperplasia Adiposa Paradoxal após tentar se livrar de células de gordura

publicidade

Após ter passado por um procedimento estético malsucedido (em 2016) que a deixou desfigurada, a modelo Linda Evangelista decidiu ir a público para revelar que, finalmente, conseguiu entrar em acordo com a empresa responsável pelo tratamento.

A famosa havia pedido o valor de 50 milhões de dólares (aproximadamente 270 milhões de reais) no processo, já que sofreu danos corporais permanentes e teve que se afastar do trabalho como modelo.

publicidade
Linda Evangelista (Reprodução / YouTube)

Agora, em seu Instagram, ela explicou que o acordo foi finalmente fechado com a CoolSculpting, porém, os valores não foram divulgados.

“Fico feliz em ter chegado a um acordo no caso da CoolSculpting. Estou ansiosa pelos próximos capítulos da minha vida, com amigos e família, e deixar esse tema para trás. Fico realmente grata pelo apoio que recebi daqueles que entraram em contato”, escreveu ela.

O drama foi revelado pela celebridade em setembro do ano passado, anos depois de ter abandonado a carreira.

publicidade

O procedimento realizado prometia diminuir a quantidade de células adiposas (aquelas que armazenam gordura no organismo), utilizando calor; entretanto, a técnica utilizada acabou causando o efeito reverso e essas células aumentaram permanentemente.

Não houve solução para o caso, nem mesmo com cirurgias corretivas.

publicidade
Post original de Linda Evangelista no Instagram (Reprodução / Instagram)

Na época em que divulgou o assunto publicamente, ela disse:

“Hoje dei um grande passo para corrigir um erro que sofri e guardei para mim mesmo por mais de cinco anos. Para meus seguidores que se perguntam por que eu não tenho trabalhado enquanto as carreiras de meus colegas têm prosperado, a razão é que eu fui brutalmente desfigurada pelo procedimento CoolSculpting de Zeltiq, que fez o oposto do que prometia”.

publicidade

“[O procedimento] aumentou, não diminuiu, minhas células de gordura e me deixou permanentemente deformada, mesmo depois de passar por duas cirurgias corretivas dolorosas e malsucedidas. Fui deixada, como a mídia descreveu, ‘irreconhecível’. Eu desenvolvi hiperplasia adiposa paradoxal ou HAP, um risco do qual eu não tinha conhecimento”.

Linda Evangelista (Reprodução / YouTube)

Em termos simples, a referida complicação ‘endurece’ a gordura e sua remoção se torna praticamente impossível.

publicidade

A modelo – que já fez parte do grupo das Super Six, nos anos 1990, ao lado de Claudia Schiffer, Cindy Crawford, Christy Turlington, Kate Moss e Naomi Campbell – escreveu:

“Isso não apenas destruiu meu meio de vida, mas também me enviou a um ciclo de profunda depressão, profunda tristeza e as profundezas da autoaversão. Tornei-me uma reclusa. Com este processo, estou avançando para me livrar da minha vergonha e ir à público com a minha história. Estou tão cansada de viver assim. Eu gostaria de sair pela minha porta com a mão erguida, apesar de não parecer mais eu mesma”.

O que você achou? Siga @siteepipoca no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui.

Veja mais ›