Round 6 | Atriz explica origem da boneca de “Batatinha Frita 1, 2, 3”

Round 6 (Reprodução/ Netflix)

Round 6 é a série do momento, e claro que ela iria gerar uma infinidade de memes na internet. Dentre os memes mais populares está o da “boneca assassina” do primeiro episódio Batatinha frita 1, 2, 3.

Sendo um série coreana, obviamente que há muitas referências de lá, e entre elas é a tal boneca. Em uma entrevista para o The Tonight Show With Jimmy Fallon, a atriz Jung Ho-yeon, que interpreta Kang Sae Beyok, também conhecida como jogadora 067, explicou a origem da boneca.

Ela contou que a boneca é uma personagem popular dos livro didáticos coreanos. A atriz ainda disse:

“Quando estávamos na escola, tinham esses personagens, um garoto e uma garota. O menino se chamava Chulsoo e a menina se chamava Younghee. E [a boneca] é ela”.

Personagens dos livros didáticos coreanos
Personagens dos livros didáticos coreanos (Reprodução)

Em um vídeo, o perfil da Netflix das Filipinas, a a diretora de arte de Round 6, Chae Kyoung-Sun, explicou a origem da brincadeira Batatinha Frita 1, 2, 3, que se assemelha à brincadeira brasileira Estátua. 

“Batatinha frita 1, 2, 3 foi um jogo infantil popular nos becos durante os anos 1970 ou 1980. Fizemos referência às ilustrações de Chulsoo e Younghee de livros didáticos da época”.

Esse conteúdo não pode ser exibido em seu navegador.

Recepção da crítica

No IMDb, Round 6 / Squid Game conseguiu a nota 8,3 / 10. No Rotten Tomatoes atingiu 100% de aprovação da crítica e 87% de aprovação do público. Confira abaixo os comentários:

“Esta série não para. Squid Game é descaradamente violento, caótico e visceral” – Austin Burke, Austin Burke/Flick Fan Nation.

“Squid Game pega uma ideia nova e a transforma em um drama emocionante; esperamos que continue a aumentar a tensão que vimos nos últimos 20 minutos ao longo da temporada” – Joel Keller, Decider.

“É uma aventura estranha, violenta e perturbadora, e se isso soa como algo que você gostaria, não posso recomendar o Squid Game o suficiente” – Paul Tassi, Forbes.

“Squid Game não oferece uma fuga dos horrores do mundo real; dentro de suas limitações como drama ficcional, nos dá algo muito mais raro: uma afirmação de que eles existem e de que não estamos sozinhos em considerá-los um pesadelo” – Kayti Burt, Den of Geek.

“No geral, este ainda é um slam dunk selvagem e divertido da Netflix Korea, que provavelmente será adotado em todo o mundo como seus antecessores” – Pierce Conran, South China Morning Pos.

“Além de ser um pouco esticado demais em alguns pontos, eu diria que [Squid Game] merece todos os elogios que receberá” – Jonathon Wilson, Ready Steady Cut.

“Squid Game é empolgante, surpreendente e tenso, mas esse cuidado é o que realmente faz com que valha a pena assistir” – Polygon.

Veja mais ›