Roteiristas de Death Note da Netflix falam sobre a reação negativa ao filme

Cena de Death Note (Reprodução / Netflix)
Cena de Death Note (Reprodução / Netflix)

Death Note foi é um dos mangás e animes mais populares do mundo. A trama bem conhecida mostra uma pessoa que tem em mãos um caderno que tem o poder de matar qualquer pessoa apenas escrevendo o nome dela em suas páginas. Em 2017, Death Note ganhou uma adaptação em live action feita pela Netflix, que tem direção de Adam Wingard, contudo, a adaptação recebeu diversas críticas ruins, principalmente pelos fãs.

Em uma entrevista para o Comic Book, Charley e Vlas Parlapanides que trabalharam no roteiro de Death Note, falaram sobre o fracasso de filme. “A única coisa que eu adicionaria é que, de novo, eu acredito que a produção funciona, mas que filmes mostram muito a visão do diretor, especialmente no modelo tradicional de estúdio. E o que eu queria dizer é que nós estávamos viciados em Death Note em 2006, lendo cópias piratas e os PDFs online que traziam uma tradução americana e nossos rascunhos originais eram mais fiéis ao que a história é…”, começou Charley

Ele acrescentou: “E isso é apenas uma escolha e, de novo, como Vlad mencionou, depois que nós trabalhamos no projeto, vários outros roteiristas o retrabalharam. Foi muito mais uma visão do Slater (roteirista) que se tornou o filme final e, de novo, é uma escolha do diretor seguir com a história do jeito que ele quer. E essa é uma obra ótima”.

Vlad afirmou: “E nós ficamos tristes pelos fãs não terem gostado. Nós queríamos que eles ficassem felizes. Nós queríamos que eles gostassem. Todos os roteiristas querem isso. E eu acho que Jeremy Slater fez um bom trabalho, mas ele tinha uma visão muito específica e nós ficamos decepcionados com a recepção porque nós queríamos dar aos fãs ao que eles iriam gostar, mas nós também entendemos de onde as reclamações vem”.

Formado em administração e psicologia. Fez curso de desenho com especialização em cartoons. Adora videogame, animações e filmes e séries de super heróis e monstros.


SIGA-NOS E VEJA MAIS


Veja mais ›