Ricky Martin responde a alegações de abuso doméstico

Ricky Martin chama alegações de uma ordem de restrição de abuso doméstico de "completamente falsas".

publicidade

De acordo com o site EW, o cantor Ricky Martin negou as alegações de assédio que levaram à emissão de uma ordem de restrição de violência doméstica em Porto Rico, sua terra natal.

Segundo a acusação, baseada na Lei 54 (Lei de Prevenção e Intervenção de Abuso Doméstico), acusa Martin de “frequentemente ligar e ficar rondando a residência de um peticionário não identificado após uma separação”, de acordo com a Associated Press.

publicidade

Através de um comunicado, os representantes de Martin afirmaram que as alegações são “completamente falsas”.

“As alegações contra Ricky Martin que levaram a uma ordem de proteção são completamente falsas e fabricadas. Estamos muito confiantes de que, quando os fatos verdadeiros sobre este assunto forem revelados, nosso cliente Ricky Martin será totalmente justificado”.

No sábado (2), o porta-voz da polícia Axel Valencia disse que as autoridades tentaram atender Martin com a ordem na sexta-feira (1) em um bairro nobre de Dorado, onde Martin reside.

“Até agora, a polícia não conseguiu encontrá-lo”, disse Valencia. Contudo o policial no pôde fornecer mais detalhes sobre o caso.

publicidade

O jornal porto-riquenho El Vocero informou que a denúncia alega que Martin e um homem namoraram por sete meses. Quando se separaram há dois meses, Martin não aceitou a separação e deu início ao suposto assédio. “O peticionário teme por sua segurança”, diz o documento.

A ordem de proteção proíbe Martin de “aproximar-se, assediar, intimidar, ameaçar ou de qualquer outra forma interferir”, como também proíbe a comunicação com a família e amigos do requisitante.

publicidade

Um juiz marcou uma audiência para ambas as partes para 21 de julho, quando a ordem expira.

As alegações ocorrem alguns dias depois que a ex-empresária de Martin, Rebecca Drucker, o processou por mais de US$ 3 milhões em comissões não pagas.

Drucker, que administrou o cantor entre 2014 e 2018 e novamente entre 2020 e 2022, e afirmou que Martin se recusou a pagar milhões de dólares em comissão depois que ela o ajudou com contratos de gravação, acordos de patrocínio e outros empreendimentos profissionais.

publicidade

Ricky Martin se recusou a comentar sobre o processo.

O que você achou? Siga @siteepipoca no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui.

Veja mais ›