Ray Fisher compartilha áudio de investigação e revela contradição da Warner Bros.

Ray Fisher (Divulgação)
Ray Fisher (Divulgação)

O ator Ray Fisher, que fez acusações contra indivíduos que trabalham para a WarnerMedia, incluindo o presidente da DC Films, Walter Hamada.

Na última semana, o interprete do Cyborg compartilhou uma gravação de uma conversa que teve com um investigador do caso.

Fisher postou o clipe de áudio no Twitter, escrevendo: “Aqui está um clipe da minha conversa final com o investigador independente da WarnerMedia em 11 de dezembro de 2020. Espero que ele leve à verdade da investigação e à credibilidade de minhas alegações atuais contra o comportamento perigoso de Walter Hamada. ”

Como acontece com muitas de suas postagens sobre o assunto, ele encerrou o tweet com “A> E”, que significa “Responsabilidade acima do entretenimento”.

No áudio é dito:

“Ray, você tem sido um cavalheiro e eu posso dizer que você tem sido um homem de palavra. E foi isso que nós reportamos para a empresa. Você nos disse que daria nomes e deu nomes. Você nos disse que se encontraria conosco em uma data e horário e nunca tentou adiar, nos encontrou e até nos deu informações depois disso. Você tem sido um homem de palavra e alguém que nós achamos extremamente digno de confiança. E o fato de você ter arriscado tanto contribui para sua credibilidade. E os fatos falam por si só”.

Saiba mais

A rivalidade de Fisher com a WarnerMedia começou com alegações sobre comportamento abusivo do diretor Joss Whedon no set de Liga da Justiça, no qual ele interpretou Cyborg.

A Warner Bros. lançou uma investigação baseada nas alegações de Fisher e nos indivíduos que ele especificou, incluindo não apenas Whedon, mas Geoff Johns e Jon Berg. Isso foi seguido por uma investigação de terceiros a pedido de Fisher.

A WarnerMedia declarou em dezembro que “medidas corretivas” foram tomadas como resultado das investigações, mas a natureza das ações tomadas não foi revelada, e Fisher expressou sua contínua insatisfação nas redes sociais.

Ele também voltou seu foco para Hamada, acusando-o de permitir a conduta indevida de outras pessoas e minar a investigação.

Fonte: CBR


SIGA-NOS E VEJA MAIS


Veja mais ›