Pose | Participar da série foi terapêutico para Billy Porter

Pray Tell (Billy Porter) em Pose (Divulgação / FX)
Pray Tell (Billy Porter) em Pose (Divulgação / FX)

A experiência de Billy Porter interpretando Pray Tell em Pose foi terapêutica e transformadora em meio à própria experiência do ator com o HIV.

Em Pose, o personagem de Porter soube de seu diagnóstico de HIV na primeira temporada do drama do FX, mas depois descobriu que tinha linfoma relacionado à AIDS na terceira e última temporada do programa.

Porter, entretanto, abordou abertamente seu próprio diagnóstico de HIV pela primeira vez no mês passado. Em uma entrevista para a People, o ator disse o seguinte:

“Pose e Pray Tell têm sido um substituto para a minha cura. O trauma foi tão difícil. A dor foi tão pesada. Os medicamentos anti-retrovirais [para o HIV] chegaram e todos seguiram em frente. Há toda uma geração de nós que realmente nunca teve a chance de processar, tendo vivido a crise da AIDS [e] tendo passado por uma epidemia”.

Na terceira temporada de Pose sozinho, Pray Tell lutou contra o alcoolismo ao lado de sua luta contra a AIDS antes de finalmente sucumbir à doença no final da série.

Os espectadores também tiveram um vislumbre da história de seu personagem com sua família, na qual ele sofreu abusos de seu padrasto.

Autocuidado

Pray Tell (Billy Porter) em Pose (Divulgação / FX)

Porter também disse à People que praticar o autocuidado é o que o ajudou a passar pelas filmagens das cenas mais desafiadoras emocionalmente nesta temporada.

“Eu realmente tive que aprender a cuidar de mim mesmo no processo [por meio] do autocuidado [e descobrir como] equilibrar os limites. Eu realmente tive que cuidar de mim mesmo. Mas realmente se resumia a quanto tempo eu estava dentro de algo. Eu não poderia ficar nisso por muito tempo”.

Se despedir da série após três temporadas foi uma sensação “agridoce”, de acordo com Porter.

“Nós realmente tivemos a chance de dizer o que precisávamos”, disse ele à People. “E aquilo me faz feliz.”

Desde sua estreia em 2018, Pose recebeu elogios da crítica por seu foco nos cenários culturais drag e afro-americanos da cidade de Nova York em meio à epidemia de HIV / AIDS na década de 1980 e no início da década de 1990.

Também fez história por ter o maior elenco de atores transgêneros em uma rede convencional.

Junto com Porter, também estava no elenco principal Mj Rodriguez (Blanca Rodriguez), Dominique Jackson (Elektra), Indya Moore (Angel), Hailie Sahar (Lulu), Dyllón Burnside (Ricky), Angel Bismark Curiel (Lil Papi), Ryan Jamaal Swain (Damon) e Angelica Ross (Candy).

As duas primeiras temporadas de Pose estão disponíveis na Netflix.

Formado em Administração e Psicologia. Fez curso de desenho com especialização em cartoons. Adora videogames, animações, filmes e séries de super heróis e monstros. Atualmente dedica-se a redação do portal ePipoca.

Veja mais ›