Pacto Brutal | Diretores impediram depoimento de assassino de Daniella Perez

Documentário conta com diversos depoimentos de pessoas próximas à vítima

publicidade

Estreia nesta quinta-feira (21), a série documental Pacto Brutal: O Assassinato de Daniella Perez, com a inserção dos dois primeiros episódios que relembrarão um dos crimes de maior repercussão do país.

Em dezembro de 1992, a atriz e bailarina Daniella Perez foi assassinada por Guilherme de Pádua e sua esposa, Paula Thomaz, em um crime cruelmente premeditado.

publicidade

A morte prematura da jovem de 22 anos mexeu com o Brasil. O assassinato da Daniella, filha da autora e produtora brasileira, ganhadora do Emmy Internacional, Gloria Perez, ganhou notoriedade e ocupou as primeiras páginas dos jornais nacionais por anos.

A série é dirigida por Tatiana Issa e Guto Barra, que abordaram a mãe da vítima, com a ideia da produção, pois queriam mostrar que, diferente do que a imprensa insinuou na época do crime, Daniella foi a única vítima nessa história.

Daniella Perez, Pacto Brutal (Divulgação/ HBO Max)

“Queríamos falar dessa história de maneira séria. Mandei uma mensagem para Gloria, lá pela meia-noite, perguntando se ela gostaria de falar sobre isso e ela me respondeu a uma da manhã, dizendo que conhecia o nosso histórico e que estava disposta a confiar”, disse Tatiana em entrevista com o Omelete.

“É claro que temos a história do crime, que tem que ficar muito clara, por conta de todas as versões. Mas, a parte que mais nos fez querer contar essa história é a história da Gloria, dessa mãe, que se tornou uma investigadora, que foi atrás e que sacou que tinha um papel crucial ali. E foi bom também resgatar a Dani como pessoa, como mais que o corpo, a vítima”, acrescentou Guto.

publicidade
Gloria Perez em Pacto Brutal (Divulgação/ HBO Max)



Os diretores da série chegaram ao consenso de que não dariam voz aos assassinos, não dando oportunidade para Guilherme de Pádua tentar se vitimizar, com suas alegações de que Daniella o assediava. 

publicidade

O assassino, e ator, que trabalhava na mesma novela que Perez, se dizia tão apaixonado pela esposa Paula, que tinha o nome dela tatuado em sem pênis.

“Ele quis se apresentar nesse primeiro momento como aquele homem heroico, que estava se sacrificando pela mulher que estava grávida, com quem ele vivia muito bem a ponto de se tatuar com o nome dela. Ele se oferece para mostrar o pênis dele, porque tinha uma tatuagem, numa declaração de amor à mulher. E ao meu ver, eu estou convencido, ele queria já ali insinuar o envolvimento da mulher”, afirma o desembargador do caso ao Notícias da TV.

Raul Gazolla em Pacto Brutal (Divulgação/ HBO Max)



Entre as pessoas que participam da série dando relatos, está o então marido da vítima, Raul Gazolla, que relembrou o momento em que soube a identidade do assassino.

“’Eu vou mastigar o pescoço desse filho da puta. Eu vou mastigar. Eu não vou nem encostar nele’. Eu virei um bicho. Eu fiquei com muito ódio. Eu sei que não é um bom sentimento, mas não dá pra não ter naquele momento que você sabe que sua mulher foi assassinada, que o assassino é o colega de trabalho dela”, ele desabafou também em entrevista ao Notícias da TV.

publicidade
Daniella Perez e Raul Gazolla (Divulgação/ HBO Max)



Outro depoimento que consta no documentário é o de Cláudia Raia, que relembrou o mau pressentimento que teve quando Daniella não chegou ao local de ensaio, que deveria ir no dia de sua morte.

“Para um bailarino faltar a um ensaio, ele está morto. Tanto que todo mundo falava: ‘Cadê ela? Se ela não chegou, alguma coisa aconteceu'”, ela lembrou.

A atriz, que é ex-namorada e amiga muito próxima de Gazolla, e acompanhou o viúvo no reconhecimento e na delegacia, contou que chegou a descobrir uma pista do envolvimento de Pádua, mas não percebeu naquele momento.

Daniella Perez e amigas (Divulgação/ HBO Max)
publicidade



“Ele ficou ali um tempo, chorando, dizendo: ‘Meu Deus, que loucura isso’. Parecia bastante emocionado, muito indignado com tudo. [Dizia] ‘Como fizeram isso com essa garota, essa menina é um anjo’. Me abraçou também, nem me conhecia. E eu não sei por que olhei o braço do Guilherme. Tinha, na parte do antebraço, arranhão de unha de mulher. Me chamou a atenção aquilo. Guardei pra mim. Era recente. Estava meio em carne viva, meio sangrandinho”, disse a  atriz.

Pacto Brutal: O Assassinato de Daniella Perez é uma produção Max Original, produzida pela Producing Partners. A série estreia na HBO Max nesta quinta-feira (21)

O que você achou? Siga @siteepipoca no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui.

Veja mais ›