Nova 007, Lashana Lynch debate racismo online que está sofrendo e dá opinião

Lashana Lynch em 007 Sem Tempo Para Morrer
Lashana Lynch em 007 Sem Tempo Para Morrer (Divulgação)

Lashana Lynch foi mais uma das vítimas do racismo online que se espalha cada vez um ator negro é anunciado em um grande papel. A atriz estará em 007: Sem Tempo Para Morrer, mas já enfrentou diversos comentários negativos antes mesmo de a estreia acontecer.

Aos 32 anos, ela teve uma conversa franca com a revista Harper’s Bazaar do Reino Unido, e disse acreditar que qualquer atriz negra que assumisse o posto de ser a primeira mulher a ser a agente 007 passaria pelas críticas, afinal os fãs sobretudo os mais conservadores, não aceitam algo que fuja do que estão acostumados.

“Eu sou uma mulher negra – se fosse outra mulher negra escalada para o papel, teria sido a mesma conversa, ela teria os mesmos ataques, o mesmo abuso”, disse ela. “Só preciso me lembrar de que a conversa está acontecendo e que faço parte de algo que será muito, muito revolucionário.”

Questionada sobre como lidou com a situação, ela disse que saiu das redes sociais, e tentou meditar todos os dias, e passar maior tempo com sua família. A atriz, cuja personagem Nomi herda o título de 007 de James Bond no próximo filme, disse que se sente grata por poder “desafiar essas narrativas”.

“Estamos nos afastando da masculinidade tóxica, e isso está acontecendo porque as mulheres estão sendo abertas, exigentes, vocais, e denunciando o mau comportamento assim que o vemos”, disparou. Em fevereiro, Lynch, que é descendente de jamaicanos, disse sobre seu papel inovador: “É uma honra poder hastear com orgulho nossa grande bandeira jamaicana no MI6 como agente do 00”. Ela também estrelou anteriormente como piloto e mãe solteira Maria Rambeau em Capitã Marvel.

Comunicólogo balzaquiano, paulistano, e com experiência vasta nesse mundo virtual. Adorador de séries, filmes, quadrinhos, e tudo o que envolve a cultura pop.


SIGA-NOS E VEJA MAIS


Veja mais ›