No ‘vermelho’, Disney vai demitir 32 mil funcionários em 2021

Disney World
Disney World (Reprodução)

A situação não está fácil para ninguém, nem mesmo para a Disney, que irá demitir 32 mil funcionários. A empresa informou nesta quarta-feira (25), que um total de 32 mil funcionários, sobretudo aqueles de sua divisão de Parques, e Resorts terão seus contratos encerrados na primeira metade do ano que vem.

Vale lembrar que neste número já estão incluídos os 28 mil funcionários que a companhia disse que mandaria embora anteriormente, por não ter conseguir fazer dinheiro com os parques por causa da pandemia

Estes cortes de despesas anteriores haviam sido divulgados em setembro. A Disney até tentou manter os parques funcionando em uma capacidade reduzida depois de mais de seis meses com eles fechados, porém a Walt Disney world, sua principal fonte de renda em todo o mundo não foi reaberta.

Segundo o CEO Bob Chapek em um anúncio feito há algumas semanas, o único setor da empresa que não sofreu queda significativa foi o streaming, Disney+ que está completando um ano de vida nos Estados Unidos e já conta com quase 74 milhões de assinantes em todo o mundo.

A Disney, assim como outras empresas da indústria do entretenimento, viu demissões em outras áreas também, mas nada que se compare ao que acontece com seus parques.

O relatório divulgado em 12 de novembro dizia que a empresa empregava aproximadamente 203.000 pessoas em 3 de outubro, cerca de 80% em tempo integral e 20% em meio período, com quase 1% advindo dos de empregos temporários. Do total, cerca de 155 mil atuaram no segmento de Parques, Experiências e Produtos.

O relatório de lucros observou que a divisão de parques teve um “impacto adverso” de US $ 2,4 bilhões no quarto trimestre fiscal encerrado em setembro e um impacto de US $ 6,9 bilhões no ano fiscal completo com o fechamento por conta da Covid-19 e capacidade operacional reduzida.

“Devido ao clima atual, incluindo os impactos do COVID-19 e as mudanças no ambiente no qual estamos operando, a empresa gerou eficiência em sua equipe, incluindo a limitação de contratações para funções críticas de negócios, licenças e reduções de pessoal. Como parte dessas ações, o emprego de aproximadamente 32.000 funcionários, principalmente em Parques, Experiências e Produtos, será encerrado no primeiro semestre do ano fiscal de 2021 ”, disse o documento ao qual o site Deadline teve acesso.

Em 3 de outubro, a Disney também observou, “aproximadamente 37.000 funcionários que não estão programados para rescisão do contrato de trabalho estavam em licença como resultado do impacto do COVID-19 em nossos negócios”. Os parques estão entre os segmentos de entretenimento mais atingidos na era da pandemia, junto com cinemas e eventos ao vivo. Os parques tradicionalmente respondem por cerca de um terço da receita da Disney.

Comunicólogo balzaquiano, paulistano, e com experiência vasta nesse mundo virtual. Adorador de séries, filmes, quadrinhos, e tudo o que envolve a cultura pop.


SIGA-NOS E VEJA MAIS


Veja mais ›