Nick Jonas explica o que o levou a virar produtor de nova série da Netflix

Nick Jonas dirigindo episódio da série Dash & Lily
Nick Jonas dirigindo episódio da série Dash & Lily (Divulgação/ Netflix)

Depois de cantar e atuar, Nick Jonas embarcou em um novo desafio em sua vida profissional: Produzir uma série de TV. Ele é um dos nomes por trás de Dash & Lily, novo programa infanto-juvenil da Netflix. A história é protagonizada por Austin Abrams e Midori Francis como dois adolescentes de Manhattan que embarcam em um romance de férias turbulento enquanto escrevem um para o outro em um caderno que passa de um lado em vários locais de Nova Iorque.

Jonas e sua empresa, a produtora Image 32 entraram na produção devido à expertise dele em falar com o público alvo de Dash & Lily, além de sua amizade com o produtor executivo Shawn Levy, de Stranger Things, que o conheceu durante as filmagens de Uma Noite no Museu 3, e resolveu abrir as portas para ele.

“Estou constantemente procurando evoluir e crescer como uma pessoa criativa, Shawn ficou realmente emocionado em falar sobre essa série especificamente como um ponto de partida”, disse o ator ao The Hollywood Reporter. “E sou muito grato a ele e sua equipe por me permitirem embarcar e contribuir com qualquer capacidade que eu pudesse, porque realmente definiu o tom para o tipo de parceiros que desejo encontrar à medida que continuo a construir minha empresa de produção e o tipo de projetos que quero apoiar”, disse ele.

Jonas ainda explicou não vai parar por aí, e já está se aventurando a escrever roteiros de televisão também, algo que tentou aperfeiçoar durante a quarentena. “Tive alguns anos de experiência escrevendo, mas nunca tive tempo para me aprofundar totalmente. E daí, neste tempo eu escrevi três ou quatro episódios piloto para projetos de TV, que estão avançando, e meio que acabaram de preparar um monte de inícios realmente emocionantes para os recursos. O gênero está em todo o mapa. Sou um verdadeiro fã de apenas contar histórias, e de cinema e televisão em geral. Então, eu amo esse momento de apenas ser capaz de criar e deixar o projeto ditar o caminho a seguir e quem podem ser esses parceiros ou estúdios em potencial”.

Ele não diz exatamente o que escreveu, mas garantiu que é fã de comédias românticas, algo que pode explorar. Quando questionado sobre um exemplo que gostaria de seguir na indústria, ele citou Mark Wahlberg. “Ele fez o caminho que eu gostaria de seguir. Trabalhar com grandes parceiros criativos para fazer as coisas e depois ir direto ao ponto onde eu decido se quero estar nele ou não”.

Comunicólogo balzaquiano, paulistano, e com experiência vasta nesse mundo virtual. Adorador de séries, filmes, quadrinhos, e tudo o que envolve a cultura pop.


SIGA-NOS E VEJA MAIS


Veja mais ›