Netflix teria suspendido funcionários que criticaram programa transfóbico

Netflix Logo (Reprodução)
Netflix Logo (Reprodução)

A Netflix teria suspendido três funcionários por atrapalhar uma reunião de seus principais executivos, incluindo uma pessoa trans que criticou uma nova comédia de Dave Chappelle, The Closer.

Terra Field, uma engenheira de software sênior de San Francisco, estava entre os suspensos na semana passada por participar da “QBR”, revisão trimestral de negócios da Netflix, um evento de dois dias que reúne os 500 melhores funcionários da empresa.

Field, que se identifica como homossexual e trans, e os demais funcionários não foram convidados para o encontro virtual, segundo fontes do site Variety.

A Netflix não suspendeu Field por causa de tweets recentes condenando o que ela chamou de piadas anti-trans no especial de Chappelle, disseram indivíduos próximos a Netflix, mas por comparecer sem ser convidado. Uma investigação está sendo feita sobre os três funcionários. Field ainda não comentou o ocorrido.

“É absolutamente falso dizer que suspendemos todos os funcionários por tweetarem sobre este programa. Nossos funcionários são incentivados a discordar abertamente e apoiamos seu direito de fazê-lo”, disse um porta-voz da Netflix à Variety.

Na última quarta-feira, Field escreveu um longo tópico no Twitter sobre The Closer, onde Chappelle acusa a comunidade trans de ter “pele fina”.

Em seus tweets, Field escreveu: “Ontem lançamos outro especial de Chappelle onde ele ataca a comunidade trans e a própria validade da transnidade – tudo isso enquanto tentava nos colocar contra outros grupos marginalizados. Você vai ouvir muito falar sobre ‘ofensa’. Não estamos ofendidos”.

Field continuou a dizer sobre Chappelle: “Nossa existência é ‘engraçada’ para ele – e quando nos opomos a seu mal, ficamos ‘ofendidos’”. Ela então listou vários nomes de pessoas trans, destacando especificamente mulheres trans de cor, mortas em crimes de ódio.

Na reunião, o co-CEO da Netflix, Ted Sarandos, respondeu a perguntas sobre como a liderança deve lidar com os funcionários e os talentos chateados com os comentários de Chappelle. Ele se dirigiu a todo o grupo em um memorando após o evento, que a Variety obteve na segunda-feira.

“Chapelle é um dos comediantes de stand-up mais populares da atualidade e temos um contrato de longa data com ele. Seu último especial Sticks & Stones, também polêmico, é nosso especial stand-up mais assistido, mais pegajoso e mais premiado até hoje. Assim como acontece com nossos outros talentos, trabalhamos muito para apoiar sua liberdade criativa – embora isso signifique que sempre haverá conteúdo na Netflix que algumas pessoas acreditam ser prejudicial”.

Outro talento da Netflix que falou contra o especial de Chappelle foi Jaclyn Moore, o showrunner de sua série Cara Gente Branca.

Moore disse à Variety na semana passada que “nunca amou o material trans de Dave antes, mas desta vez parecia diferente. Esta é a primeira vez que eu me sinto como, ‘Oh, as pessoas estão rindo dessa piada e concordando que é um absurdo me chamar de mulher”.

Leia o tópico completo de Field no Twitter:

Veja mais ›