Luca Guadagnino comenta planos para a segunda temporada de We Are Who We Are

Jack Dylan Grazer e Jordan Seamon em We Are Who We Are (Divulgação / HBO)
Jack Dylan Grazer e Jordan Seamon em We Are Who We Are (Divulgação / HBO)

Criada por Luca Guadagnino, We Are Who We Are estreou na HBO em setembro deste ano. O seriado mostra a vida de dois jovem que moram em uma base militar dos Estados Unidos que fica na Itália. O elenco conta com Jack Dylan Grazer, Jordan Kristine Seamon, Chloë Sevigny, Alice Braga e Kid Cudi.

Em uma recente entrevista para o IndieWire, Luca Guadagnino falou sobre a esperança de sua série ter uma segunda temporada, além dos planos para ela. Guadagnino também falou sobre seus personagens principais, Fraser Wilson e Caitlin Harper, que quebram diversos estereótipos.

Sobre o que pretende explorar na segunda temporada, Guadagnino falou: “Eu e meus lindos escritores (Sean Conway, Paolo Giordano e Francesca Manieri), já escrevemos uma Bíblia para a segunda temporada”, disse ele. “Mas temos que ver. Fizemos isso porque estávamos presos [durante a pandemia] e não queríamos perder nosso tempo. No bloqueio, fazendo ligações através do Zoom, pensamos nos personagens e inventamos algo [para a 2ª temporada]. Veremos. Estou muito curioso para saber como isso é recebido. Você pode ver que este é um projeto muito caro para mim. Eu sinto isso como algo muito próximo de mim e estou muito feliz por ter feito isso. Portanto, se a HBO e a Sky quiserem fazer o grande elenco retornar aos seus grandes personagens, eu estarei lá”.

“Eu não acredito em rótulos”, começou o criador de We Are Who We Are ao falar sobre os personagens interpretados por Jack Dylan Grazer e Jordan Kristine Seamon. Os dois vivem uma relação muito próxima na série, mas não querem se rotular como namorados pois ainda precisam descobrir muita coisa sobre si mesmos. Ambos estão felizes como estão, e não querem ser colocados em uma caixa com um rótulo simples.

“Como hoje, tive uma discussão muito acalorada com minha mãe – muito [acalorada]”, continuou ele. “O que é isso? Qual é esse argumento, o fim do relacionamento? É um processo. Faz parte [do relacionamento]. Talvez hoje à noite comamos uma pizza juntos. É assim que a vida é. É um fluxo de coisas. E a ideia de que você deve se agarrar a uma maneira de ser ou a uma palavra que você diz, é bastante primordial e elementar. Precisamos passar das simplificações e abraçar as complicações, porque as complicações são lindas”.

Formado em administração e psicologia. Fez curso de desenho com especialização em cartoons. Adora videogame, animações e filmes e séries de super heróis e monstros.


SIGA-NOS E VEJA MAIS


Veja mais ›