George Clooney relembra sub-emprego e dá dura em atores que reclamam do trabalho

George Clooney em Céu da Meia-Noite
George Clooney em Céu da Meia-Noite (Reprodução)

George Clooney resolveu fazer uma crítica aos atores que reclamam do próprio trabalho mesmo ganhando milhões, e relembrou um emprego que ganhava apenas 3 dólares por hora. O ator que está atualmente fazendo a divulgação de Céu da Meia-Noite, seu novo drama de ficção científica conversou com o site Page Six, sobre a dolorosa experiência de gravar em um lugar gelado como a Islândia.

Mas para o astro de Hollywood isso não foi nada, já que a dor física e as dificuldades do trabalho como ator jamais serão realmente tão puxadas como as de outros trabalhos.

“Eu fiz filmes fisicamente difíceis. Mar em Fúria apanhei na água. Nesse caso, meu personagem está morrendo, então eu tive que perder peso. Você fica enfraquecido”, começou ele.

“Dirigindo, você precisa primeiro malhar, entrar em forma, porque como general você está carregando todas essas pessoas morro acima. Fisicamente demanda muito”, explicou sobre a carga. Porém, o ranço dele é saber que tem muitos atores que reclamam de barriga cheia.

“Mas, ouça, uma vez cortei tabaco para viver por US$ 3 a hora. Quando os atores dizem como é difícil, eu penso, ‘Venha cortar tabaco por um dia para ver’”, disparou Clooney sincerão.

“Também vendi sapatos femininos e seguros de porta em porta. Para fazer o nosso trabalho, ainda ser criança, brincar de faz de conta, deveríamos aproveitar. Nós somos os sortudos. Além disso, se você faz mais takes do que os outros atores – você é um idiota. Você tem que fazer suas coisas o mais rápido possível e acabar com isso”, concluiu.

Céu da Meia-Noite conta a história de um cientista que descobre que uma grande catástrofe está para acontecer, e tenta impedir que o mundo se destrua a partir disso.

O jeito simples de Clooney já chamou a atenção de outros colegas, como Hugh Grant, que falou há cerca de duas semanas que o ator dormia num ‘armário’, devido ao tamanho do lugar onde ele dorme mesmo tendo uma mansão imensa. Segundo Grant, isso se deve às origens humildes, que Clooney não conseguiu esquecer.

Paulo Afonso

Comunicólogo balzaquiano, paulistano, e com experiência vasta nesse mundo virtual. Adorador de séries, filmes, quadrinhos, e tudo o que envolve a cultura pop.


SIGA-NOS E VEJA MAIS