George Clooney fala como se sente sobre sua carreira: “nunca tive sucesso”

O portal Deadline publicou esta semana uma longa entrevista na qual George Clooney falou sobre algumas questões relacionadas ao mundo do cinema, dentre elas, comentou sobre os rumos que a sua carreira tomou e o que isso significa para ele como ator.

A ampla entrevista cobriu a maior parte da carreira de Clooney, incluindo colaborações de sucesso com os irmãos Coen, Steven Soderbergh e outros.

Ele acabou afirmando que o fato de não ter conseguido alcançar um grande sucesso em alguma franquia de filmes foi positivo por tê-lo ajudado a desenvolver uma carreira variada nas telonas e a evitar o elenco.

“Tive uma sorte estranha, pois, como ator, nunca tive muito sucesso em nada, sabe, de uma forma engraçada. Eu nunca tive.”, começou ele, espirituoso.

“Fiz um filme de ação como Peacemaker e não foi um sucesso, se fosse Die Hard, o que não era, então seria quem eu teria sido. Eu teria sido o cara da ação.”

“Eu fiz One Fine Day, se eu tivesse feito comédias românticas e qualquer uma delas fosse um grande sucesso, eu teria sido o cara da comédia romântica, e então eu não poderia ter feito drama e da outra forma eu não poderia ter feito comédia.”

“Porque eles não eram, e se você passar pela minha carreira muitas das coisas não foram ‘hits’, [mas] isso me permitiu fazer e tentar outras coisas. Tenho permissão para fazer uma comédia ou drama, então posso fazer algo tão estranho como O Brother, Where Art Thou e algo tão direto como Michael Clayton.”

Um dos erros que o artista mencionou foi o filme, aplamente criticado, Batman e Robin. Para ele, foi uma experiências de aprendizado, e explicou:

“Eu quase fui morto por interpretar Batman e Robin e entendi pela primeira vez – porque, honestamente, quando ganhei Batman e Robin, eu era apenas um ator conseguindo um emprego de ator e estava animado para interpretar Batman – o que percebi depois disso era que eu seria considerado responsável pelo filme em si, não apenas pelo meu desempenho ou pelo que estava fazendo.”

“Então eu sabia que precisava me concentrar em scripts melhores, o script era a coisa mais importante. Você não pode fazer um bom filme com um roteiro ruim, é impossível. Você pode fazer um filme ruim com um bom roteiro.”, contou.


SIGA-NOS E VEJA MAIS


Veja mais ›