Gal Gadot conta que Mulher-Maravilha 1984 a fez chorar

Mulher Maravilha 1984
Mulher Maravilha 1984 (Divulgação/ Warner Bros.)

Estreia hoje no Brasil o filme Mulher-Maravilha 1984. Quem tiver coragem de se arriscar a enfretar uma sala de cinema em meio à pandemia poderá assisti-lo. O longa marcou tanto a protagonista Gal Gadot, que ela revelou que chegou a chorar.

“De repente, eu não era Gal Gadot, a atriz do filme. Eu era uma garotinha de Israel, e fiquei impressionada porque, como mulher, nunca havia visto algo assim antes. Comecei a chorar na hora”, disse ela em uma entrevista para o UOL no ano passado, sem revelar o momento que se sentiu emocionada.

“Eu não esperava ficar emocionada, nem o fato de isso ter acontecido comigo. Sabe, eu espero que funcione tanto para o público como funcionou para mim. Eu não esperava que fosse tão emocionante”, completou a atriz.

Gal apareceu como Diana Prince, alter-ego da Mulher-Maravilha pela primeira vez em Batman vs. Superman: A Origem da Justiça, filme de 2016 dirigido por Zack Snyder. Seu primeiro filme solo foi um verdadeiro sucesso de público (com uma bilheteria de 800 milhões de dólares) e crítica, responsável por mudar a opinião que os críticos tinham sobre os filmes da DC, que eram cheios de aspectos sombrios e com poucos toques de humor.

“É ótimo termos sido as primeiras a dar o tom e fazer certo. E estou muito feliz por termos tantos filmes estrelados por mulheres, de heroínas ou não, como temos agora. Temos 50% de mulheres e 50% de homens na população, então faz sentido que nossas histórias sejam contadas também”, disse a atriz.

Em Mulher-Maravilha 1984, Diana está mais acostumada ao universo em que vive. A tecnologia está presente, e desta vez ela será a responsável por mostrar o novo mundo a Steve Trevor, personagem de Chris Pine que tinha morrido no primeiro filme, mas volta neste, de uma forma que ainda está sendo mantida em segredo.

Nos Estados Unidos e outros países que já contam com o serviço de streaming HBO Max, o filme chegará no dia 25 de dezembro, e ficará disponível por lá, mas também nos cinemas

Comunicólogo balzaquiano, paulistano, e com experiência vasta nesse mundo virtual. Adorador de séries, filmes, quadrinhos, e tudo o que envolve a cultura pop.


SIGA-NOS E VEJA MAIS


Veja mais ›