Fear The Walking Dead | Morgan foi mordido e não sabe?

Lennie James como Morgan em Fear The Walking Dead
Lennie James como Morgan em Fear The Walking Dead (Divulgação/ AMC)

Morgan é um dos personagens mais queridos de The Walking Dead, e por isso virou protagonista de Fear The Walking Dead, a primeira série derivada que está na sua sexta temporada. Porém, o fim dele pode estar próximo já que existe no ar a dúvida sobre ele ter sido mordido por um zumbi em um novo episódio.

SPOILERS ABAIXO

Quando Morgan embarcou no submarino encalhado onde Teddy (John Glover) planejava lançar quase duas dúzias de mísseis carregando ogivas suficientes para destruir um continente, ele foi atacado e imobilizado por um dos 150 marinheiros zumbificados deixados para apodrecer dentro do casco de pressão do USS Pennsylvania.

Morgan escapa aparentemente ileso com a ajuda de June Dorie (Jenna Elfman), mas é um encontro fora da tela com os mortos-vivos que levanta a questão: Morgan foi mordido?

Quando Morgan e Victor Strand (Colman Domingo) chegam a um beco sem saída dentro do submarino inundado por zumbis, a única saída é voltar por um compartimento claustrofóbico bloqueado por dezenas de walkers.

Correndo sem tempo para chegar à sala de armas onde Teddy e o oficial de armas do barco Riley (Nick Stahl) vão disparar os mísseis, Strand chuta Morgan para um bando de caminhantes e o deixa para trás para sair por uma escotilha agora livre.

Morgan escapa fora da tela, reaparecendo aparentemente sem um arranhão – ou uma mordida, mas o ator disse que tudo é possível se tratando de Fear The Walking Dead.

“Tudo é possível. Ele diz que ele estava a centímetros de ser um daqueles [caminhantes]. E ele estava tão perto disso que acredita que sabe como eles pensam”, disparou Lennie James em entrevista ao site Comic Book.

Na estréia da 6ª temporada, um Morgan de olhos vermelhos e meio morto foi deixado sem tratamento semanas após ser baleado à queima-roupa por Virginia (Colby Minifie). Foi o tecido necrótico de sua ferida que o tornou invisível para os caminhantes .

“E então, talvez haja algo acontecendo, mas talvez simplesmente não haja, e são apenas as memórias que Morgan tem de quando ele estava tão perto da morte.”

Comunicólogo balzaquiano, paulistano, e com experiência vasta nesse mundo virtual. Adorador de séries, filmes, quadrinhos, e tudo o que envolve a cultura pop.

Veja mais ›