Executivo explica por que filme não substituiu Armie Hammer

Oliver (Armie Hammer) em Call Me By Your Name (Reprodução)
Oliver (Armie Hammer) em Call Me By Your Name (Reprodução)

As últimas semanas têm sido turbulentas para o ator Armie Hammer, que vem recebendo diversas acusações polêmicas.

O ator foi acusado de compartilhar fantasias explicitas e sexualmente carregadas, que envolvia até mesmo canibalismo.

Isso fez com que Hammer perdesse diversos trabalhos e até ser abandonado por seu agente.

Apesar de tudo isso, ele ainda aparecerá no filme Crisis de Nicholas Jarecki, que estreia dia 5 março.

Quando atores se envolvem em polêmicas, é comum eles terem suas cenas cortadas ou regravadas com outros atores.

Contudo, como Crisis é um filme de baixo orçamento, regravar as cenas de Armie Hammer com outro ator dependeria de um dinheiro que Jarecki não tem.

Em uma entrevista para o Page Six, um executivo explicou:

“Levaria muitos meses para refazer o papel [de Hammer]. Eles não querem gastar o dinheiro que seria necessário para contratar outro ator, atrasar o lançamento, fazer todas as refilmagens. Este filme não tem um orçamento tão grande. Isso levaria de dois a três meses”.

Hammer ainda compartilha um terço da arte do pôster que também é estampado por Oldman e Lilly e não foi removido do trailer do filme.

No entanto, as co-estrelas de Hammer estão estão o omitindo da divulgação do filme, como Lilly escreveu em um publicação:

“Tenho orgulho de fazer parte de um thriller contundente que aborda as questões que cercam uma indústria que lucra com o vício (e tenho orgulho de estar neste pôster com #garyoldman)”.

Os executivos esperam que as pessoas não se importem com Armie Hammer e comecem um boicote.

Outras fontes também não esperam que Hammer seja cortado do filme Morte no Nilo, dirigido por Kenneth Brannagh e baseado no romance de Agatha Christie. O filme também estrelado por Annette Bening, Gal Gadot e Jennifer Saunders.


SIGA-NOS E VEJA MAIS


Veja mais ›