Chefe da HBO alfineta fãs de Game of Thrones que ainda reclamam do final: “Twitter não é vida real”

Casey Bloys comentou a reação negativa ao final de Game of Thrones e afirmou que as redes sociais não refletem a realidade

publicidade

Mesmo após três anos o final de Game of Thrones continua sendo comentado. Para muitos fãs da série o final foi decepcionante.

Em uma entrevista para o The Hollywood Reporter, Casey Bloys, o chefe de conteúdo da HBO e da HBO Max, comentou como o final da 8ª temporada subverteu as expectativas dos fãs e gerou grande reação nas redes sociais.

publicidade

“Acho que em várias partes da nossa sociedade estamos nos lembrando de que o Twitter não é a vida real. Sabíamos que seria divisivo e, claro, você quer que todos os fãs fiquem felizes, mas isso nunca vai acontecer. Não havia muitas pessoas andando desanimadas ou chateadas. É uma tomada que lê bem, mas provavelmente não reflete totalmente os sentimentos do espectador”.

O autor de Game of Thrones, George R. R. Martin também abordou o alvoroço dos fãs sobre o final da série após oito temporadas.

“A p*rra da internet tóxica e esses podcasts por aí dizendo que a oitava temporada deixou uma impressão tão ruim que as pessoas dizem: ‘Ah, nunca mais vou assisti-los’. Não confio mais neles”.

A Casa do Dragão

A Casa do Dragão (Divulgação)
publicidade

Apesar do controverso final, o sucesso de Game of Thrones é inegável, e ainda há muitos fãs de Daenerys Targaryen. Com isso, a HBO lançará uma série prólogo focada na guerra civil da Casa Targaryen.

Bloys também falou na entrevista como contar agora a história dos Targaryens vem com um novo desafio.

publicidade

“Gostei da ideia de focar em uma família e, obviamente, os Targaryen têm muito drama para mostrar. Também gostei do eco de como os impérios podem cair rapidamente – esses são os tipos de conversas que estamos tendo em nosso próprio país, que não acho que seja algo que eu pensaria que estaríamos falando há 20 anos. Os programas são um produto de seu tempo, e há muito mais consciência agora sobre o que estamos retratando e por quê – e quem está conversando sobre isso”.

Enquanto isso Martin chamou A Casa do Dragão de uma “tragédia shakespeariana” com uma mensagem e tom ainda mais sombrios do que Game of Thrones.

“Não há Arya – uma personagem que todos vão adorar. Eles são todos falhos. Eles são todos humanos. Eles fazem coisas boas. Eles fazem coisas ruins. Eles são movidos pelo desejo de poder, ciúmes, velhas feridas – assim como os seres humanos. Assim como eu os escrevi”.

publicidade

A Casa do Dragão estreia no dia 21 de agosto na HBO.

O que você achou? Siga @siteepipoca no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui.

Veja mais ›