Pixar contratou especialistas para evitar fracasso de Soul

Cena de Soul (Reprodução / Disney e Pixar)
Cena de Soul (Reprodução / Disney e Pixar)

A Pixar não queria cair em uma armadilha com Soul e fazer com que o filme soasse artificial, e para isso contratou um time de especialistas.

Esses especialistas são atores, e pessoas negras da indústria do cinema que guiaram o trabalho dos roteiristas para que o filme não cometesse os mesmos erros que A Princesa e o Sapo, e fosse rejeitado por mostrar uma vivência negra estereotipada.

Foram consultados Daveed Diggs, Questlove, Jon Batiste, Herbie Hancock, Terri Lyne Carrington, Marcus McLaurine, George Spencer, Bradford Young e Dr. Johnetta B. Cole.

Eles fizeram com que Joe, o protagonista, fosse construído de forma mais completa e mais semelhante a um homem negro numa cidade grande.

Até a representação de Nova Iorque teve um diferencial. Essa ajuda externa foi revelada pelo site Insider, que entrevistou um dos responsáveis pela animação, Pete Docter, co-roteirista e diretor de animação da Pixar.

“Não tínhamos conhecimento disso, quando começamos, mas certamente nos demos conta. Minha esperança era que quando as pessoas vissem o filme inteiro, tivesse muito Joe na tela. E acho que temos mais de 50% dele na Terra, assim como os lugares para onde ele vai, as pessoas com quem ele anda, então a outra parte é ele no mundo das almas”.

Sem caricaturas e estereótipos

Docter ainda explicou o motivo de lutar contra qualquer tipo de caricatura que seu filme tivesse.

“Queríamos que fosse o mais autêntico possível. Porque quando você está na plateia e algo soa falso, isso afeta o potencial do filme.  O que estamos sempre tentando fazer é apenas mover as pessoas, fazê-las se importar, fazê-las sentir algo. E acho que essas duas coisas estão muito conectadas”.

Numa entrevista para a revista Variety, o ator Jamie Foxx, que deu voz ao personagem na versão estadunidense relatou a sensação de ser o primeiro negro a protagonizar uma animação da Pixar.

“Para mim, poder dizer com orgulho que sou o primeiro protagonista afro-americano em um filme Disney-Pixar, é incrível. É uma sensação ótima.”

Se você ainda não assistiu Soul, corre para o Disney+. O filme está disponível por lá desde o dia 25 de dezembro do ano passado.

Comunicólogo balzaquiano, paulistano, e com experiência vasta nesse mundo virtual. Adorador de séries, filmes, quadrinhos, e tudo o que envolve a cultura pop.

Paulo Afonso

Comunicólogo balzaquiano, paulistano, e com experiência vasta nesse mundo virtual. Adorador de séries, filmes, quadrinhos, e tudo o que envolve a cultura pop.


SIGA-NOS E VEJA MAIS


Veja mais ›