Estes são alguns dos produtos do catálogo Disney+ que receberam a advertência de “produção ultrapassada” da Disney

Disney+: Divulgação

A Disney adotou algumas medidas para compensar seus erros do passado quando retratava personagens, enredos e contextos que retratavam preconceito racial, sexual e de gênero.

Após todas as manifestações que ficaram conhecidas como Black Lives Matter, a empresa decidiu colocar uma advertência no início de produções onde cenas do tipo são vistas que dizia:

“Esses estereótipos eram errados no passado e são errados hoje em dia. Em vez de eliminarmos esse conteúdo, queremos reconhecer seu impacto prejudicial, aprender com isso e provocar discussões para criarmos um futuro mais inclusivo juntos.”

O site da Folha de São Paulo fez até uma longa lista de alguns dos filmes do catálogo em que cenas do tipo aparecem e que receberão a advertência da Disney. Abaixo mostramos alguns dos filmes listados:

1. Fantasia (1940)

O filme apresentava uma cena onde uma centauro negra escova os cascos de uma centauro branca. Essa cena foi retirada do filme há vários anos, mas a Disney decidiu manter o aviso de “representação ultrapassada”.

2. Dumbo (1941)

Na trama, existe um grupo de corvos maldosos cujo líder se chama Jim Crow. Apesar de Crow significar corvo em inglês, a palavra também se refere ao nome das leis de segregação racial que existiam no sul dos Estados Unidos durante o século dezenove.

3. Você já foi à Bahia? (1944)

O enredo mostra uma viagem do Pato Donald com Zé Carioca pela América Latina, que é representada de forma estereotipada e mostra o Brasil como uma grande selva, basicamente.

4. Peter Pan (1953)

Aparentemente inocente, o filme traz indígenas falando uma língua sem o menor sentido e são tratados com o termo racista “peles-vermelhas”.

5. A Dama e o Vagabundo (1955)

Também parece simples e inocente a olhos comuns, porém, traz uma duplinha de gatos siameses malvados que possuem traços asiáticos. Ainda há outros cães com fenótipos raciais carregados de estereótipos.

6. Mogli (1967)

O orangotango Rei Louie é um cantor de jazz e bebop, que são estilos característicos da população negra da época, trazendo mais um estereótipo racista.

Um Psicólogo que estuda Medicina, ensina inglês, toca piano, ama escrever e tem um gato. =P


SIGA-NOS E VEJA MAIS


Veja mais ›