Diretor de Cavaleiro da Lua explica a importância da reviravolta envolvendo Layla

Para Mohamed Diab, trazer uma mulher egípcia para o centro da trama era muito importante para representar uma cultura que ainda é muito estereotipada no cinema.

publicidade

Mohamed Diab explicou porque os acontecimentos envolvendo Layla (May Calamawy) no último episódio de Cavaleiro da Lua são tão importantes.

ATENÇÃO: SPOILERS para o episódio final de Cavaleiro da Lua a seguir.

publicidade

O diretor da nova série do Disney+ conversou com o Screen Rant e discutiu o arco narrativo de Layla El-Faouly no episódio.

Layla rejeitou a oferta de Khonshu de ser tornar seu próximo avatar e, em vez disso, se transformou no Escaravelho Escarlate, o avatar da deusa Taweret, ou Tuéris.

Layla (May Calamawy) em Cavaleiro da Lua (Reprodução)

De acordo com Mohamed, ele incluiu essa transformação de Layla, uma mulher egípcia com os cabelos naturais cacheados, para aumentar a representação nas telinhas. Ele contou uma história sobre sua filha, que não se via nos produtos que consumia quando era pequena:

publicidade

“Me deixa eu te contar uma história sobre a minha filha rapidinho. Quando ela tinha cinco anos, ela me falou que queria alisar o lindo cabelo cacheado dela. Por quê? Porque todas as princesas da Disney tinham o cabelo liso.”

O cineasta sabia que muitas pessoas se enxergariam em Layla e que esse tipo de representação era importante. Ele revelou que recebeu mensagens de muitas pessoas do oriente sobre a personagem e isso o deixou muito feliz:

publicidade

“Hoje, dando às pessoas um exemplo de heroi que se parece com elas, eu vejo mensagens não só do Oriente Médio ou do Egito, mas até mesmo do sul da Ásia. Todo mundo que tem a pele mais escura dizendo, ‘Sabe o que mais? Eu me identifico com isso. Eu sinto e amo isso’.”

“Eu tenho orgulho disso. De poder ser parte disso, e eu só tenho a agradecer à Marvel e aos roteiristas e todos que se envolveram pelo personagem e por todo esse programa”, disse.

Mohamed queria mostrar Egito como metrópole viva

Gregory Middleton, que foi diretor de fotografia da série, contou para o Screen Rant que Mohamed sempre se preocupou em se afastar da imagem estereotipada do Egito na série.

publicidade

A intenção dele era mostrar como o Cairo é uma cidade moderna e o país não é apenas areia e pirâmides:

“Os episódios não são longos o suficiente de verdade, mas a gente não queria que isso fosse mostrado daquele jeito antiquado que você sempre vê em filmes clichês de Hollywood. É uma sociedade complexa, a gente queria retratar aquilo, é importante. É por isso que a gente também se aprofundou na personagem da Layla. Ela é uma personagem complexa, feroz e independente.”

Cavaleiro da Lua está disponível na íntegra no Disney+.

O que você achou? Siga @siteepipoca no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui.

Veja mais ›