De Volta Para o Futuro 2 quase teve outro título e o dobro da duração

publicidade

Um dos maiores clássico dos anos 1980, a trilogia De Volta Para o Futuro conquistou o mundo com sua moderna trama que acompanha o jovem atrapalhado Marty McFly em suas malucas viagens no tempo.

E se o segundo filme tivesse um nome totalmente diferente além de uma duração muito maior, tipo a Liga da Justiça de Zack Snyder, será que faria tanto sucesso? Isso quase aconteceu.

Recentemente o site americano de notícias Cheat Sheet divulgou que o diretor Robert Zemeckis e o roteirista Bob Gale inicialmente tinham planos muito diferentes para De Volta Para o Futuro 2.

Para começar o título original da primeira sequência de De Volta Para o Futuro era Paradoxo e ele contaria as histórias do segundo e terceiro filme, ou seja, McFly iria primeiro para o futuro e depois para o passado, o que tornaria o filme muito mais longo, o maior da história do cinema até aquela época.

Mas o diretor e o roteirista tiveram que replanejar tudo, pois a Universal achou a ideia deles bastante inovadora, mas ambiciosa demais, pois custaria muito caro e eles não estavam dispostos a investir tanto.

E foi assim que De Volta Para o Futuro virou uma trilogia, já que o segundo filme acabou tendo que ser dividido em duas partes, devido a recusa do estúdio em utilizar a ideia inicial de Zemeckis e Gale.

Cena de De Volta Para o Futuro 2 (Reprodução)
publicidade

Em uma entrevista recente ao site americano Screen Rant, Bob Gale definiu todo o sucesso que a franquia De Volta Para o Futuro ainda tem mais de 30 anos depois, como a atração do público por uma perfeita mistura de nostalgia, ficção científica e uma excelente produção.

Grande dúvida

Como produções que mexem com viagem no tempo, a trilogia sempre deixou muitas dúvidas na cabeça de seus fãs, como por exemplo como porque raios o Doutor Brown, mesmo sendo um gênio, não conseguiu produzir sua própria gasolina quando ele e Mcfly ficaram presos no Velho Oeste, em 1885, no terceiro filme?

Afinal ele não é um cientista? E a resposta é, sim, ele até é um cientista genial, porém, ele não é um acadêmico de renome e nem um expert das ciências, mas sim apenas alguém muito inteligente e obsessivo, que conseguiu descobrir uma forma de viajar no tempo.

Ele até tem formação em física, mas isso não quer dizer que ele tenha o conhecimento químico que precisaria para produzir seu próprio combustível.

Estrelada por Michael J. Fox, como Marty McFly e Christopher Lloyd como Doutor Brown, a trilogia que lançou seus filmes em 1985, 1989 e 1990, arrecadou US$381.1 milhões.

O que você achou? Siga @siteepipoca no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui.

Veja mais ›