Dakota Johnson faz desabafo furioso sobre ser chamada para o julgamento de Johnny Depp e Amber Heard

A atriz disse que não entendeu o motivo de estar envolvida no julgamento, ela também falou sobre a cultura do cancelamento

publicidade

Em uma entrevista para a Vanity Fair, Dakota Johnson quebrou o silêncio sobre ser chamada para o julgamento de difamação entre Johnny Depp e Amber Heard.

Johnson se tornou o assunto do momento nas redes sociais durante o julgamento devido a um vídeo de uma conferência de imprensa de 2015 que ela participou com Depp no ​​Festival de Cinema de Veneza para promover  Aliança do Crime.

publicidade

No vídeo, Johnson reage aos dedos enfaixados de Depp e ri depois que ele aparentemente explica sua lesão.

A lesão no dedo de Depp se tornou um ponto focal durante o julgamento, onde o ator testemunhou que Heard cortou a ponta do dedo com uma garrafa de vodka durante uma discussão em 2015.

“Eu disse: ‘Pelo amor de Deus, por quê? Por que estou envolvida nisso?”, Johnson disse à Vanity Fair, e continuou:

“Eu não me lembro disso, mas, por favor, me tire disso. Não deixe isso ir mais longe. Você pode imaginar, oh, meu Deus, se eu fosse chamada para o banco das testemunhas? Eu não posso acreditar que as pessoas estão assistindo [o julgamento] como se fosse um show. É como se fosse um drama de tribunal e meu coração se parte. É tão, tão, tão louco. Os humanos são tão estranhos. A internet é um lugar selvagem e selvagem”.

publicidade
Johnny Depp e Amber Heard em julgamento nos Estados Unidos
Johnny Depp e Amber Heard em julgamento nos Estados Unidos (Reprodução)

Cultura do cancelamento

Johnson não comentou mais sobre o julgamento de Depp e Heard, mas refletiu sobre a “cultura do cancelamento” em geral.

publicidade

“O que eu luto em termos de cultura do cancelamento é o termo cultura do cancelamento – todo o conceito por trás do cancelamento de um ser humano, como se fosse um compromisso”. Nenhuma pessoa não cometerá erros em sua vida.”

“O ponto de estar vivo é descobrir isso. Machucar outras pessoas não é bom. Há consequências para essas ações. Mas o conceito do Twitterverso decidir se alguém de repente não existe mais é horrível, doloroso e errado. Eu acho que vai passar. Acredito que as pessoas querem viver em um mundo melhor, em última análise. Além disso, o Twitter compõe 12% do mundo? Quero dizer, algumas dessas pessoas não sabem nem soletrar”.

Dakota Johnson é conhecida por 50 Tons de Cinza, A Fera, Como ser Solteira e A Filha Perdida.

O que você achou? Siga @siteepipoca no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui.

Veja mais ›