Criador afirma que primeiro episódio de Supernatural era pra ser muito mais assustador

Sam (Jared Padalecki) e Dean (Jensen Ackles) no primeiro episódio de Supernatural (Reprodução)

Eric Kripke, autor de Supernatural está se despedindo de um filho com o final da série que chegará em algumas semanas no canal americano The CW, e explicou que o episódio piloto que ele escreveu era para ser bem mais assustador do que aquilo o que público viu.

Na época, o programa estreou na extinta emissora The WB, e Kripke disse que filmes como O Grito e O Chamado, que eram super populares na época foram inspirações para que ele criasse o enredo dos irmãos Winchester.

“Dissemos: ‘Vamos pegar essa experiência e colocá-la na TV’, e o objetivo inicial era ser assustador”, lembrou o roteirista em uma entrevista para o Entertainment Weekly. No entanto, logo ficou claro que Kripke tinha levado esse pouco de inspiração um pouco longe demais.

“Há um tom muito particular nesses filmes. Eles são muito sérios e foi isso que vendemos. Eu era um jovem escritor, tive algumas tentativas fracassadas e realmente senti o peso de: ‘Esta é a minha chance’. Então fiquei muito consumido por isso, o que nem sempre é saudável, e nesse caso não era”, desabafou.

“Então pensei, repensei e me concentrei em cada detalhe e tentei torná-lo o mais absolutamente assustador que pude e não tive um senso de humor particularmente alegre nisso. Era tudo muito pesado e provavelmente, olhando para trás, apenas desnecessariamente complicado”, disse ele, que hoje tenta tornar tudo o que toca mais leve, como The Boys, que apesar de ter uma violência gráfica, possui forte senso de humor.

Porém, ao longo de sua trajetória, Supernatural foi ganhando alguns toques de comédia, que foram tirando o peso que ainda estava presente no início da história, mas a leitura que Kripke faz é que os espectadores se apegaram muito mais à ligação e fraternidade entre Sam (Jared Padalecki) e Dean (Jensen Ackles), do que propriamente pelos sustos. A série terminará com 327 episódios no total.

Paulo Afonso

Comunicólogo balzaquiano, paulistano, e com experiência vasta nesse mundo virtual. Adorador de séries, filmes, quadrinhos, e tudo o que envolve a cultura pop.


SIGA-NOS E VEJA MAIS