Competitivas! Disney+, Star+ e Starzplay oferecem combo no mesmo valor de assinatura da Netflix

Empresas se unem com uma proposta clara: quebrar a concorrência

publicidade

A Disney e o STARZ, dois grandes nomes no mercado do streaming decidiram juntar seus conteúdos e oferecer ao público um combo que dá direito aos usuários acessarem os conteúdos das plataformas Disney+, Star+ e STARZPLAY.

O serviço está disponível para Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Equador, México e Peru.

publicidade

Para assinar, é preciso acessar o Disney+ ou o Star+. No Brasil, a assinatura está custando R$ 55,90.

Enquanto isso, a Netflix tenta driblar crise com reunião secreta com criadores de conteúdo

Como o mercado não para de girar, e não só o produto vendido, mas também as condições ofertadas aos clientes é que mandam no lucro final de uma empresa, a Netflix tem visto suas ações caírem, à medida em que a concorrência se amplia e ganha território.

Entretanto, como não está disposta a ficar por baixo, a plataforma mandou um recado para cineastas e produtores de conteúdo, deixando claro que ela ainda ‘é a rica’ e ainda tem muito dinheiro para investir em produções e em divulgação de seu conteúdo.

Escritório da Netflix em Los Angeles
Escritório da Netflix em Los Angeles (Divulgação/ Netflix)
publicidade

Uma matéria do site The Hollywood Reporter afirmou que várias reuniões estão acontecendo na empresa desde a queda das ações que foi anunciada no mês de abril.

O objetivo é tranquilizar os cineastas e showrunners e tentar deixar provado para eles que a empresa continua liderando o mercado e permanece com todas as condições de competir e vencer seus concorrentes.

publicidade

Um dos números apresentados nessas reuniões foi de 17 bilhões de dólares, valor investido em produções no ano de 2021, e que, segundo a Netflix, vai se repetir tanto em 2022 como em 2023.

De acordo com informações de uma fonte que foi ouvida pelo site, é possível que a empresa gaste ainda mais, tentando se garantir em seus mais de 200 milhões de assinantes pagantes que garantem seu lucro.

Catálogo da Starz (Divulgação)

Uma outra alternativa será modificar a estratégia de produção de suas séries

publicidade

De acordo com os executivos da plataforma, as novas séries deverão durar três temporadas no máximo, a fim de evitar que suas produções se tornem absurdamente caras e possa haver espaço para a realização de um número maior de atrações.

Uma das ideias seria, inclusive, fazer a mesma coisa que o Disney+ já faz, que é apostar em seis episódios por temporada ao invés de oito ou nove.

O que você achou? Siga @siteepipoca no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui.

Veja mais ›