Chefe da Pixar responde grande questão envolvendo Buzz Lightyear em Toy Story

Buzz Lightyear em Toy Story (Reprodução / Pixar e Disney)
Buzz Lightyear em Toy Story (Reprodução / Pixar e Disney)

Em Toy Story vemos que os brinquedos têm ‘vida’, contudo se fingem de ‘mortos’ quando algum humano está no mesmo ambiente que eles.

Porém, uma grande questão levantada sobre esse jogo de Vivo-Morto é por que Buzz Lightyear fica inanimado na presença de um humano.

O brinquedo recém-saído da caixa acredita que realmente é um patrulheiro espacial que esta perdido em um planeta estranho, mas mesmo assim segue as mesmas regras dos outros brinquedos.

Em uma entrevista para o Huffington Post (via CB), Peter Docter, o chefe da Pixar, que trabalhou como escritor e supervisor de Toy Story, foi questionado sobre o comportamento de Lightyear. Ele respondeu:

“Discutimos muito sobre Toy Story, o primeiro, tipo, ‘Se Buzz não sabe que é um brinquedo, por que ele fica rígido quando uma criança entra na sala?’. Tivemos muitas explicações e conversamos sobre isso também. E no final, ninguém se importou”.

Outras questões

Monstros S.A. (Divulgação / Pixar e Disney)
Monstros S.A. (Divulgação / Pixar e Disney)

Outro questionamento que surgiu na entrevista foi sobre se os pais da Boo em Monstros S.A. estavam preocupados com sumiço dela. Afinal, a criança passou dias no mundo dos monstro junto com Sulley e Mike.

Docter comentou:

“Esta é uma das perguntas que nos fizemos. E passamos por muitas maquinações diferentes para escrever cenas. Na verdade, não abordamos nenhuma, mas nos sentimos como, ‘OK, o público não precisa saber disso porque Sulley não sabe. E nós estamos com Sulley. Então, quem se importa?'”.

Ele acrescentou:

“O que quer que os pais dela pensem, vamos simplesmente ignorar isso. E acabou tudo bem”.

Pois é, filmes podem levantar diversos questionamentos entre fãs, mas nem mesmo seus criadores têm a resposta. E o próprio Pete Docter acha que não precisamos de todas as respostas.

“Acho que a resposta mais curta é que você só precisa tentar adivinhar onde o público vai achar importância ou pelo menos empurrar seu interesse para lá”.

Formado em administração e psicologia. Fez curso de desenho com especialização em cartoons. Adora videogame, animações e filmes e séries de super heróis e monstros.


SIGA-NOS E VEJA MAIS