Biógrafa de Coronel Parker desmente trama de filme de Elvis

Filme mudou alguns momentos do filme, que segundo a autora não aconteceram daquela maneira na vida real.

publicidade

Segundo Alanna Nash, o ‘vilão’ do novo filme de Elvis não era exatamente da maneira como a cinebiografia o retratou.

A autora escreveu a biografia do empresário, intitulada The Colonel: The Extraordinary Story of Colonel Tom Parker and Elvis Presley, através do qual ela se tornou uma expert na relação entre o Rei do Rock e seu empresário.

publicidade

Em entrevista concedida para a revista Variety, Alanna discutiu alguns pontos de Elvis dos quais ela afirma que a história divergiu do retratado no longa-metragem que estreia em breve nos cinemas.

Nascido nos Países Baixos e tendo trabalhado em parques de diversões antes de se mudar pros Estados Unidos, de maneira ilegal. Apesar disso, a autora disse que a trama envolvendo uma força governamental secreta ameaçando revogar o estado de cidadão do país do agente para que Elvis controlasse suas performances para não ‘corromper a juventude’ era falsa:

“Isso é algo completamente e totalmente equivocado, uma invenção completa do filme. Primeiro de tudo, quando o Coronel Parker se alistou no exército dos Estados Unidos, ele se declarou um cidadão holandês, com seus pais nascidos no país. Tudo bem até aí, a gente aceitava estrangeiros, mês ele queria se tornar um cidadão estadunidense, que ele acabou nunca virando porque ele se ausentou do exército depois. Mas ele trabalhou de perto com o Pentágono, planejando a carreira do Elvis no exército e seu show pós-guerra para arrecadar dinheiro para o monumento do USS Arizona.”

Elvis não seria ‘baixo’ de demitir agente durante show, diz autora

Austin Butler em cena de Elvis (Reprodução/Youtube)
publicidade

Alanna também comentou sobre a cena em que Elvis ameaçou demitir o Coronel no palco em 1974, pelos motivos alegados no filme de que o empresário teria pedido uma parte de seus gastos com os shows de volta. Segundo ela, apesar de uma briga ter acontecido naquele ano, Elvis nunca ameaçou mandar o agente embora, muito menos dos palcos, que ela disse que seria ‘baixo’ demais para o cantor:

“Ele nunca demitiu ele no palco, mas teve um incidente em Vegas em 1974 em que o Elvis criticou o Barron Hilton do palco por ter demitido um dos funcionários favoritos dele. Aqui acabou gerando uma discussão colossal aos gritos entre os dois, com o Coronel apresentando uma conta que os Presleys não poderiam pagar. Mas aí as coisas voltaram ao que eram. O Elvis nunca seria baixo a ponto de demitir o Coronel do palco.”

publicidade

Elvis entra em cartaz nos cinemas do Brasil a partir do dia 14 de julho.

O que você achou? Siga @siteepipoca no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui.

Veja mais ›